DG: Tower of God.

Página para discussões gerais do webtoon “Tower of God”.

Anúncios

479 comentários em “DG: Tower of God.

  1. PhonsekalLevi disse:

    Enryuu, a Sleeping Scan tem esse nome por causa do mitoso do Laure?

  2. PhonsekalLevi disse:

    Shumy, onde tu aprendeu coreano e quanto tempo levou?

  3. TEORIA SOBRE OS CONTRATOS DA COROA

    Sabemos que Hwaryun fala “aqueles que não podem ser mortos”

    E sabemos que o SIU já disse “(Se eu fosse te dar uma pequena dica, seria que o “Rei da Torre” tem um significado bem diferente do “Rei” que você está pensando.)”

    O Motivo óbvio desse foco em Zahard, é que ele é o titular dos contratos da torre. Substituir ele é adquirir o direito de mudar as regras (desde que abrindo mão das contrapartidas favoráveis – explicadas logo abaixo)

    Provavelmente é algum sistema que funciona semelhante a afro samurai.

    O (portador da faixa de) número 1 só pode ser desafiado/subjugado pelo numero 2.
    O numero 2 pode ser desafiado por qualquer um.

    Zahard seria o número 1. Por contrato ele não pode ser subjugado.
    A diferença entre ToG e Afro Samurai deve estar no número 2. É bastante ingênuo acreditar que os números 2 (lordes das famílias) nunca tentem subjugar o 1 (mesmo quando não mais concordem com suas leis [Blossom]) e ao mesmo tempo nunca houve notícia de tentativa de subjugamento deles por outros por mera “boa relação” ou “estabilidade” expontânea da torre.

    Deve haver aí algumas nuances contratuais.

    Se fosse pra eu chutar, eu diria que o Zahard é 1, os 10 lordes são 1,5 vamos assim dizer, por meio de alguma cláusula que os tornam semelhantes ao resto da torre em relação ao 1 (não podem subjuga-lo, mesmo se o desejar [essa cláusula deve ter envolvido a origem do posto de princesa, com uma contra partida de proibição de Zahard de ter linhagem sanguínea direta {qualquer um que passa a carregar o sobrenome Zahard fica proibido de ter filhos; vide Anak}]) e os tornam semelhantes a 1 em relação ao resto da torre (não podem ser subjugados)

    A proibição da linhagem de Zahard de ter filhos serviria, para as 10 famílias, como forma de protegerem, cada um a sua, influência, já que as próprias famílias poderiam lançar suas princesas, num sistema parecido com o sistema aristocrata de famílias primarias e família secundária, onde, nesse caso, a família primária é privada de sua autonomia de linhagem, e pras famílias secundárias se torna possível pontes de ascensão à influência da família principal.

    Nesses termos a torre teria uma estabilidade política mesmo que sem boas relações pessoais, e em quado de competição por poder

    Provavelmente os irregulares (não listados) são fura filas. Ou seja, assumem naturalmente o papel de número 2 (podem subjugar os 1 e 1.5, mas podem ser subjugados pelo restante)

    As dúvidas ficariam sobre se existiriam outras formas de assumir esse posto análogo ao número 2 do afro samurai. (minha resposta seria que sim) e qual o verdadeiro papel (as atribuições) de um rei em ToG (isso fica para outra teoria, ou melhor dizendo, outra parte da teoria).

    O que acham?

  4. Enryuu disse:

    Vou comentar aqui, já que você não fez o comentário novo.

    Os testes sempre existiram, mas nunca houve um pensamento elaborado para eles realmente. Como eles passariam do 1F sem testes? Headon testa todos que entram pela porta principal.

    Eu sempre interpretei a Torre de Deus como uma forma de testar o individuo que sobe e fazer ele encarar suas próprias fraquezas e dificuldades, se tornando uma pessoa cada vez mais forte. Essas pessoas eram únicas. Apenas os escolhidos pela Torre, os chamados Irregulares. Um Regular é apenas o nome dado as pessoas que não tinham esse direito, mas ganharam através de um sistema que NUNCA deveria existir.

    • Enryuu disse:
      “Eu sempre interpretei a Torre de Deus como uma forma de testar o individuo que sobe e fazer ele encarar suas próprias fraquezas e dificuldades, se tornando uma pessoa cada vez mais forte. Essas pessoas eram únicas. Apenas os escolhidos pela Torre, os chamados Irregulares. Um Regular é apenas o nome dado as pessoas que não tinham esse direito, mas ganharam através de um sistema que NUNCA deveria existir.”

      Nossa. Sério?

      Independente da minha opinião sobre a lógica disso, eu sempre interpretei o contrário.

      Mas tenho curiosidade em saber o que você imagina que a FUG, e o guardiões descontentes (tipo Headon) querem. Acabar com a população regular ou disassociar os andares?

      • Os regulares da FUG querem a própria morte (em meio a um armageddon regular)?

      • Enryuu disse:

        Headon quer (supostamente) que a Torre seja totalmente conquistada.

        A FUG já foi dito na história: Matar os 10 Grandes Chefes de Família e Zahard. Por que isso? Talvez para continuarem a subir e se tornarem Deuses de verdade, ou apenas se libertem das correntes impostas pelo sistema de Zahard, com um leve toque de vingança.

  5. Enryuu disse:
    “Falar que a torre existia para os irregulares é dizer que os guardiões e os nativos viviam apenas em função de esperar intrépidos aventureiros de fora.” TADAM, você chegou a resposta.”

    Ah não Enryuu. Você não tá fazendo isso.

    Enryuu disse:
    “Isso fica claro novamente na história quando eles não entram com a própria força, mas a “TORRE” os escolhe. Eles são o motivo de existirem guardiões e testes. Se a TORRE existisse para criar uma civilização, apenas colocariam um administrador no lugar de guardião, e eventualmente os nativos chegariam ao formato atual de Rankers e tecnologia.”

    NÃO! Isso não fica nem um pouco claro nesses termos. Pelo o contrário. JÁ FOI DITO que os guardiões JÁ ESTAVAM LÁ. Não tem motivo. Eles são naturais de lá.

    Zahard só traçou a possibilidade do trânsito.

    Imagina que é como o mar. Animais que vivem em grandes profundidades passam por apuros em profundidades mais rasas e vice e versa (pois são adaptados para a sua faixa de pressão/densidade). Por que do tanque da enguia prateada com shinsoo mais denso (ela era de andares superiores)?

    Guardiões provavelmente são seres que dominam as propriedades daquela faixa de densidade e são capazes de “demonstrar” (e/ou, não necessariamente no sentido literal, até ensinar) adaptações vantajosas para a sobrevivência naquele ambiente.

    Zahard criou um sistema (que na física real seria impossível, ok) de zona comum a todos. Ou algo análogo a isso (canais entre mares de níveis diferentes, por exemplo).

    A sua lógica mata QUALQUER importância dos guardiões. Os guardiões ajudam a explicar a natureza da torre, Enryuu. O contrário seria muito, mas muito o que o Yrs disse.

    A Torre “natural” já existia. a fauna e os guardiões e os nativos já tavam lá. SIU já disse.

    A Torre urbanizada foi um “acordo civilizatório” de Zahard com os membros mais capazes de fornecer os recursos para sobreviver e progredir ali (manipulação de shinsoo) que eram os guardiões. Provavelmente em troca de alguma coisa (proteção contra novos “alienígenas” com as mesmas capacidades vistas naquele grupo, talvez).

    A “Torre” os escolher é dizer que algo além das vias formais de triagem (listados/regulares) os fez estar alí prestes a começar a subida. (pode sim significar mais coisa, mas dizer que são o motivo dos guardiões existirem?)

    Enryuu disse:
    “Aliás, se você quiser continuar isso, pode fazer um comentário lá embaixo (um novo)? É difícil de localizar esse troço no meio de uma página cheia de comentários gigantes.”

    Pronto. 🙂 .

    • Matar um guardião está muuuuuito longe de matar um administrador.

    • Enryuu disse:

      Eu sei que os Guardiões já estavam lá, mas acredito que a Torre foi criada por alguém ou alguma coisa, e se essa coisa queria um mundo onde uma civilização vivesse em paz, não haveria por que separar eles em andares.

      E acho que você tá confundindo o tema de discussão. Começamos isso com o tema de “para quem foi feita a Torre”. E eu respondi os Irregulares, pelo simples motivo de apenas eles poderem fazer testes, logo, apenas eles poderem subir no início da Torre, já que o sistema de Zahard não foi algo inventando naturalmente, e sim superficialmente para “aumentar os seus servos”, gerando mais sobrevivência e mais idolatria.

      Regulares também não existiriam, pois apenas viveriam sob os olhares do Deus do seu mundo (Guardião), vivendo uma vida qualquer de nativos.

      Sobre a Torre escolher, bom, eu não lembro o capítulo, mas tenho certeza que o Evan falou algo como a Torre “só abrir a porta para algo que ela precisa”.

      • Não to confundindo. Acho que você está confundindo.

        “Para quem foi feito a torre”

        1º)Eu estou afirmando que existia uma torre antes de Zahard que não tinha as regras que conhecemos. A torre que conhecemos, com as regras aplicáveis, que é o único sentido até agora explorado de a torre “ter sido feita” (logo, torre no sentido civilizado) foi feita para os REGULARES.

        ( Até agora não chegou nem perto de se discutir a natureza última da torre. Guardiões e shinsoo são plots de high rankers , tamanha a importância. Então no webtoon, todas as vezes que foi citadas as leis da torre, está falando-se da torre civilizada já)

        ,
        ,
        2º) Você tá falando que a torre, num sentido anterior as regras de subida aplicáveis (contratos), mas aplicando as regras atuais (que passaram a existir com [após] esses contratos [???]), foi feita para RECEBER IRREGULARES.

        ,
        ,
        3º) A rota dos pioneiros que a Yuri e o Evan usam pra chegar ao primeiro andar nem necessariamente tem ligação com testes. É uma rota de exploração mesmo. Manual. Braçal.

        Irregulares talvez nem tivessem que fazer testes. Eles iam pela rota deles ( que pelo que foi mostrado da Yuri e Evan, nem necessariamente fica na região interna [pode ser intermediária), matando o que os atacava (pescando), e conforme a patrola ia passando que os guardiões passaram a intervir para propor alguma trégua, acordo, ou forma menos sangrenta de subir.

        Claramente não tinha previsão para testes para eles.

        TESTE É ALGO JÁ REGULATÓRIO (feito para REGULARIZAR).

        TESTE é regra da torre JÁ civilizada.

        A regra do subir por teste não necessariamente (e provavelmente não mesmo) se aplica a Zahard e os 10.

        Ser obrigado fazer teste para subir é algo já para regulares. É um fenômeno já tipicamente regular. É a prova exatamente de que a Torre foi feita (nos termos que dá pra se dizer “foi feita”) para os REGULARES

        ,
        ,
        4º) Qualquer indivíduo, de fora ou de dentro da torre, que se relacionando diretamente com os guardiões, provavelmente poderiam negociar. Precisaria era de uma infraestrutura (comunicação e aceitação entre guardiões dos dois andares envolvidos [guardião remetente e destinatário], no mínimo) . Sem infraestrutura nem teste devia ser necessário, tentava no braço e via o que dava (a taxa de sucesso devia ser bem mais próxima de zero do que nos tempos atuais).

        O Zahard instaurou essa infraestrutura (que eu acho que seja a “torre interna”), e esses contratos, que permitiriam que seres de andares pudessem fisicamente transitar de forma mediada pelos guardiões (sem ter que “se virar” com as diferenças de densidade).

        Afinal é isso que é falado sobre o andar ainda não aberto (mas que já existe lá no canto dele), não é? que o guardião não era amigável com Zahard. SEM TESTES (Uai, mas não foi feito pra isso?). Negociação direta. Como vimos com o Baam no andar de testes antes do último e fatídico teste.

        ,
        ,
        A TORRE DEFINITIVAMENTE NÃO FOI FEITA PARA IRREGULARES.

        Nem antes (pq não havia sido feita pra ninguém, era uma montanha, um oceano, um planeta, um mundo sendo explorado e só), nem agora (que se tornou algo construto, mas é exatamente para regulares).

        Yrs, tira essa dúvida. É mais ou menos a isso que você se referia?

      • Charlie disse:
        “Falar que a torre existia para os irregulares é dizer que os guardiões e os nativos viviam apenas em função de esperar intrépidos aventureiros de fora.”

        Enryuu disse:
        TADAM, você chegou a resposta.”

        Isso é, com toda a certeza, impossível. (isso é plot pra jogo do atari)

        Final seria o que? Tipo mario bros? (“desculpe, mario, mas a princesa foi levada para outra torre” [ou seja, nada aqui é relevante, mas veja o lado bom, você fez bastante exercício]). ou Tron Legacy que ele leva alguma regular inutel – já ciente de que tudo que viveu era um show de thruman – pra fora?

        esse aqui não precisa responder. Não é pra ser ofensivo. É só o choque pela resposta mesmo.

  6. [Errata]

    https://sleepingscan.wordpress.com/2015/01/06/dg-tower-of-god/comment-page-1/#comment-7124

    aqui eu disse:

    “Os testes nem necessariamente existiam. (alguns) Guardiões até podiam fazer, mas não era sequer regra. Não tinham regras. Não tinha “testes programados”. Não tinha finalidade.

    Eles eram irregulares, como mostra no caso do baam no andar dos testes (do ultimo teste, EXATAMENTE logo depois dele despertar a primeira forma de poder dele, na prova da coroa) era na base da negociação direta (cada caso devia ser um caso específico) naquele primeiro momento”

    Isso está errado. Tem a parte de treinamento e o teste do pega entre os dois.

    Depois eu procuro quando o Baam encontra o Guardião do andar.

  7. Yrs disse:

    Oh god…
    Eu levo pelo menos um dia pra me recuperar da ressaca enquanto vocês já estavam aqui produzindo artigos de jornal anual.
    Há três possibilidades pra explicar isso:
    1 – Vocês não bebem
    2 – Vocês definitivamente não bebem
    3 – Vocês são um bando de motoqueiros disfarçados de nerds.

    Carlos, fiquei magoado contigo. No feliz natal, o primeiro da lista era o Charlie ? Ficar abaixo dos “donos” do blog eu entendo, mas até abaixo do Charlie? Pensei que tinha algo de especial entre agente, eu estava incrivelmente enganado.

    Charlie, é triste ver suas teorias hoje em dia, você é atencioso quase sempre aos detalhes, viaja muito, mas sempre é parcial quanto ao que você quer/aceita. A outras obras que você usou de referências são clássicos, obras únicas e cada uma delas tem um pouco de ToG, ou é o contrário, o bestiário é uma delas, mas Chrono Trigger.. nem tanto. Claro que não conheço todos aqueles exemplos, por exemplo, a não ser que me paguem eu jamais vou assistir o “2001: Uma Odisseia no Espaço”. Talvez se relançarem ele. Isso é mais velho que o meu pai.

    Lembra quando você teve aquela reflexãozinha sobre todos da torre serem totalmente normais fora da torre? Pra você isso devia estar sendo um choque na hora, mas não é novidade pra ninguém, todos nós tínhamos consciência que fora da torre não há shinsoo, o ar que não pôde ser encontrado na torre, substitui a necessidade vital que dentro da torre o shinsoo é necessário. Tendo uma leitura do seu comportamento mental, a partir do que você escreve, tenho base o suficiente pra afirmar que você viu a teoria com olhos mais críticos após se tocar disso. Exemplo, você pegou algo óbvio, ao qual estava bem explícito no meu texto e depois usou como contra-argumento. Em um exemplo simples eu disse “o rio flui abaixo” e você disse “não, o rio desce”. Isso me desencorajou um pouco a responder (isso e o fato de que os últimos dias antes do natal, e o último fim de semana, serem totalmente reservados aos amigos). Em resumo, eu quero dizer que uma mente em negação perde parte da sua capacidade por se auto-limitar. Se largar a parcialidade e for olhar as suas teorias sobre TUS, seguinte a minha sobre a relação TUS-ToG, vai perceber que você repete o que eu escrevi de forma mais “pucha-saco”/”Engrandecida”.

    É difícil pra você aceitar que ToG não é o centro de um universo, usou até a possibilidade de um planeta que abrigasse toda a torre. Se você fizer uns cálculos, com pouco conhecimento de matemática, vai ver que um planeta pra suportar a torre de deus teria quer ter 2 Terras e meia em solo fixo.

    Bem, eu mais analisei você do que suas teorias, mas é que é repetitivo e cansativo responder teorias estranhas que seguem a mesma base de 1 pilastre de razão segurando um complexo todo de viagens sem muito nexo fundamentadas no “talvez”. Na verdade é até pior quando se vê que sem mais nem menos você afirma certas coisas.
    E foi lendo elas que descobri que essas teorias estão tão imersas nessa onda de “agorismo” do século 21, que pensei em segurar mais essa ansiedade disfarçada.

    Quanto a torre. Ela foi feita pra irregulares. Nativos sequer podiam falar com guardiões até que Zahard implantasse esse sistema. Sem o uso do pocket isso também seria impossível. A vida dentro da torre parece um tanto irrelevante demais pra se pôr ao caso em uma teoria, quando simplesmente essa vida poderia não existir. Essa vida é vontade dos guardiões, eles controlam clima e densidade dos seus respectivos andares, então se há um terreno hóspito pra qualquer tipo de vida, ainda mais uma tão delicada como a humana, é por preferência deles. Quanto aos testes, aparentemente os 10GW demoraram trocentos anos pra chegar ao 134° andar, se era só necessário levar em papo com o guardião, porquê todo esse tempo? Abrir caminho pela área intermediária é um argumento estúpido, se isso fosse possível, porquê empacaram no 134°?

    A resistência inata dos irregulares pode dar ao fato de que eles vieram de fora, isso é simples. Analisando só um pouco, sem ficar complicando o que não é complicado, dá pra chegar a conclusão de que essa resposta é perfeita, nem muito boa nem muito ruim. Você já parou pra pensar no uso do ar na vida real? Ele é responsável por quase todo tipo de vida, seja ela grande como um humano, ou pequena como a bactéria do môfo. O sangue precisa de oxigênio, presente no ar e na água, o sangue é o que compõe mais de 90% do nosso corpo, de formas diferentes, em estado de órgão e etc. Na torre o shinsoo simplesmente substitui essa necessidade de ar, tudo na torre foi feito/nasceu pra funcionar com shinsoo, então nativos crescem sobre influência indireta e constante desse material “místico”, o qual não sabemos todas as propriedades. Do alimento à respiração, o shinsoo tem participação. Mas, o shinsoo tem oxigênio na estrutura nativa dele, ou ele literalmente substitui o oxigênio? E se o faz, o que impede de substituir outros materiais vitais pro corpo? Essas não são exatamente perguntas, só tô insitando-os a pensar.
    Em resumo, o corpo dos nativos nasce do shinsoo, há shinsoo em cada canto desse corpo, pois ele leva suas propriedades próprias pra suprir a necessidades do corpo. Já os irregulares tem um corpo que não teve necessidade de shinsoo para a criação. Logo os nativos sendo como parte do shinsoo estão muito mais sujeitos a distúrbios no shinsoo ao redor, eles são como águas-vivas na água, se bater na água ela vai ondular e a água-viva acompanha essa ondulação. Os irregulares estão mais pra um cachorro nadando, a não ser que bata realmente forte na água, o cachorro vai continuar intacto. De forma simples, a água-viva está sujeita as mínimas variações, enquanto o cachorro só vai ser afetado por alterações realmente grandes.

    Feliz natal atrasado pessoal, e um próspero ano novo !

    • Enryuu disse:

      Você é um gênio, moço.

      • Yrs disse:

        Ah, obrigado pessoal, eu me esforço sabe.

        Você me convenceu Carlos. E não vejo motivo pra não fazer os dois (festa e biblioteca), lê antes e vai pra festa depois. Um não é o contrário do outro.

        Se vocês vissem que eu meio de dispensei uma menina linda porque (acreditem) meio que esqueci como se beija (fazia um ano eu acho que eu não pegava nem vento na cara), e somassem as minhas viadagens nesse blog, diriam que eu tô indo pro lado rosa da força.
        (Mas eu não tô, ok?)

    • Eu gosto(amo) de você Yrs. Nunca neguei isso …

      1 – Eu não bebo(cerveja).

      2 – Eu definitivamente não bebo(cerveja).

      3 – Motoqueiro? Não. Eu prefiro ir a uma Livraria, do que ir a uma Festa. Deu pra entender né …

      Fica não, my precious Nakama.

      Coloquei o nome do Chali primeiro, porque era a pessoa que estava falando comigo naquele exato momento. Se fosse o Ran, teria sido ele o primeiro, acho que deu pra entender o que eu quero dizer rs. Mas normalmente você seria o primeiro, seguido logo do Phantom e …

      Na verdade, você pode não saber, mas … você está ocupando o lugar mais especial da lista, porque ele está diretamente relacionado a mim.

      A próposito, o seu lindo texto … fez o meu coração acelerar.

    • Charlie Harper disse:

      Vije, Yrs, me chamou na chincha ali (Falou que minha vó não era homem e que meu pai não tem peito).

      Ok. Considerando a parte que vocês debatiam sobre isso, pelo jeito tiveram algum discussão fora daqui que fez ou você entender o ponto defendido pelo Enryu (de modo bastante detalhado, devo dizer) ou o que você percebe não é o que o Enryu também defende mas ele te convenceu que pelo menos o que você pensava antes não o era.

      Sendo Taxativo, eu concordo com o Yrs de antes. Então diria que ,desculpem a eresia, (se não quiserem mais ser meus amiguinhos, eu entendo) o Enryu te levou pro caminho errado. 😛

      “Charlie, é triste ver suas teorias hoje em dia, você é atencioso quase sempre aos detalhes, viaja muito, mas sempre é parcial quanto ao que você quer/aceita. ”

      Estou partindo da premissa que o SIU tem um mundo todo estabelecido, causamente condicionado e correlacionado para tentar seguir pistas intencionais que ele deixa desde o começo da obra (trilha de pão).

      Se alguém (qualquer um) tivesse dito, após o Baam subir para o 2º andar, que a Rachel tava no andar do Headon ainda – baseando-se na fala do Headon ao final (estava assistindo, o que vai fazer agora criança) – vocês teriam falado que isso seria viagem. Mas essas pistas estão lá o tempo todo.

      As ideias de que a Rachel ia ser quickada (ou era só esperta), que a Rachel foi especialmente humilhada pelo Headon ou achar que a voz era do thorn indica que a viagem não parte do lado de cá.

      Quanto a “parcialidade”, é impossível ser imparcial, existe parcialidade no simples ato de aceitar/refutar algo. Eleger que Rachel seja apenas esperta, é parcialidade. Eleger que a voz é do Thorn é parcialidade. É óbvio que sou parcial. Você também. Enryu te atribuindo genialidade também. E é isso mesmo.

      A questão, meu amigo, é que procuro apenas não ser arbitrário (eleger por motivos que não baseados na própria mecânica proposta [seguir a “regra do jogo”])

      Enryuu não. Agora você não. =/

      As minhas eleições realizadas não são por preferência, são por lógica dentro do que é apresentado. Não dizia que a Rachel não ia ser quickada porque assim eu queria. Ou que não existe nenhuma prova de que ela tenha apenas “pego carona” com o Baam porque ela seja a minha favorita. Eu detesto ela. O SIU destrói o tempo todo lógicas baseadas no querer/preferência. E definitivamente não sou eu que quero que só o Baam (entre ele e Rachel) tenha aberto o portão com as próprias mãos.

      Eu não quero ver a Rachel se dando bem. Não me agrada. Não torço pra ve-la forte. Prevejo inclusive que ela nunca o será no sentido literal. E isso também não é porque torço que seja assim. Só me parece fazer mais sentido com o que foi mostrado.

      Eu nem conseguiria me ater aos detalhes se partisse para o que eu gostaria. Mas o querer seguir a trilha de pão deixada pelo autor que me leva a possibilidade desses projetos globais de coerência. Isso que me leva a dizer: vocês estão viajando. (Poderia ter dito com todas as letras desde a época do “Rachel vai ser superada e virar plot antigo”).

      Falo isso “tendo uma leitura do padrão estabelecido, a partir do que SIU escreve, tendo base o suficiente pra afirmar”

      “A outras obras que você usou de referências são clássicos, obras únicas e cada uma delas tem um pouco de ToG, ou é o contrário, o bestiário é uma delas, mas Chrono Trigger.. nem tanto.”

      Eu informei claramente: “mesmo que com pequenos conceitos”,

      No caso de Chrono Trigger seria um deles. (Até porque Lavos pode servir como explicação mais shounen e curta para quem desconhece Cthulhu e ancestrais – então, se fosse uma lógica mais gnóstica poderia haver referências lovercraftianas até em um sentido mais amplo, mas o chrono trigger ali representa que caso a torre seja explicada como algo mais físico mesmo, meramente as referências materialistas da obra do HPL seriam suficiente, podendo até ser exemplificadas com Lavos). Então não vejo nada demais.

      “Claro que não conheço todos aqueles exemplos, por exemplo, a não ser que me paguem eu jamais vou assistir o “2001: Uma Odisseia no Espaço”. Talvez se relançarem ele. Isso é mais velho que o meu pai.”

      Isso já tava em pauta. Eu até mesmo brinquei ao desmerecer a obra enquanto algo que dê pra ser ver até o final.

      “sério, lê alguma resenha. Porque, ir até o final do filme se propondo a entender o que tá acontecendo, ninguém é obrigado. (nunca li o livro)”

      https://sleepingscan.wordpress.com/spoilers/comment-page-2/#comment-6924

      E fiz porque era aqui. Faça no filmow pra ver. (Mentira. Faria igual. Falo que Kubrick é superestimado meishxmo)

      Lembra quando você teve aquela reflexãozinha sobre todos da torre serem totalmente normais fora da torre? Pra você isso devia estar sendo um choque na hora, mas não é novidade pra ninguém, todos nós tínhamos consciência que fora da torre não há shinsoo, o ar que não pôde ser encontrado na torre, substitui a necessidade vital que dentro da torre o shinsoo é necessário.

      Não me era novidade que fora da torre não há shinsoo. Tem no guia das armas. Nada demais.

      Novidade pra mim foi perceber que majoritariamente era admitido que se pra se entrar era necessário algum poder (o que, nos termos de ToG, já um absurdo, já que dentro é shinsoo e fora não) ainda seria possível sair meia bomba (pros padrões do ambiente para o qual se sai). Zahard que não é encaixado na lógica de um Axis, por exemplo, sairia meia bomba.

      Essa tese afirma que o mundo externo permitiria dominância sobre a torre
      Eu sempre interpretei que a torre tem dominância sobre qualquer opção que não a torre. (o plot da Rachel é sobre o porque)

      Não sei se pra você ambas opções soam a mesma coisa. Mas definitivamente há diferenças.

      Se o caso for um, as possibilidades motivacionais e os plots podem ser um conjunto de possibilidades.

      Se o caso for outro, as possibilidades motivacionais e os plots podem ser outro conjunto de possibilidades (que dependeria de implicações impossíveis e iviabilizaria implicações necessárias para o primeiro caso).

      Eu apenas procuro tentar perceber que opções implicam em menos distorções.

      Tudo “tendo uma leitura do padrão estabelecido, a partir do que SIU escreve, tendo base o suficiente pra afirmar”.

      Tendo uma leitura do seu comportamento mental, a partir do que você escreve, tenho base o suficiente pra afirmar que você viu a teoria com olhos mais críticos após se tocar disso. Exemplo, você pegou algo óbvio, ao qual estava bem explícito no meu texto e depois usou como contra-argumento. Em um exemplo simples eu disse “o rio flui abaixo” e você disse “não, o rio desce”. Isso me desencorajou um pouco a responder (isso e o fato de que os últimos dias antes do natal, e o último fim de semana, serem totalmente reservados aos amigos).

      “Tendo uma leitura do seu comportamento mental, a partir do que você escreve, tenho base o suficiente pra afirmar que” É apenas isso (tirando o mental ali) que eu faço com ToG. Simples assim.

      (NOTA: galera, como vocês gostam de interpretar pessoas ein. [Todo mundo aqui faz psicologia é?]. E texto, vocês gostam de interpretar muito não? [Isso me deixa triste]).

      Tinha base pra dizer que a Rachel jamais seria kickada do plot central a não ser após todo o plot aberto ter sido resolvido (ela realmente pode ser traída no fim pela FUG ou algo assim, mas isso só acontece depois que o lance da Emily, por exemplo, for resolvida).

      Tinha base pra dizer que Yuri ia intervir, que o administrador do trem ia ameaça-la com o fato dela não poder estar ali, e que ia acentuar o plot envolvendo a FUG.

      Errei achando que o administrador do trem ia ter vida mais longa [isso porque estava sendo conservador, achando que Karaka só entraria depois e que Yuri começaria uma investigação sobre a FUG mais pelas beiradas, não esperava uma batalha a sério de high ranker vs assassino FUG nesse momento] e errei ao não prever a branquinha lá E SUAS IMPLICAÇÕES. Ainda sim “tendo uma leitura do padrão estabelecido, a partir do que SIU escreve, e tendo base o suficiente pra afirmar” minhas previsões sobre nível atual do White estavam mais de acordo com o que eu disse do que o Sr. Enryuu, por exemplo. ¯_(ツ)_/¯ .

      Tinha base pra dizer que a voz não era do Thorn.

      Os encaminhamentos dos plots que previ, pode ler lá se quiser, não estão no ritmo esperado, mas a direção… (vamos ver o lance dos assassinos irregulares).

      Mas do resto, na real não sei a o que você se refere. O que estava explicito no seu texto que eu distorci?

      Em resumo, eu quero dizer que uma mente em negação perde parte da sua capacidade por se auto-limitar. Se largar a parcialidade e for olhar as suas teorias sobre TUS, seguinte a minha sobre a relação TUS-ToG, vai perceber que você repete o que eu escrevi de forma mais “pucha-saco”/”Engrandecida”.

      Está falando disso?:
      https://sleepingscan.wordpress.com/2016/04/20/tailse-user-story-siu/#comment-7008

      Ou disso?:
      https://sleepingscan.wordpress.com/2016/04/20/tailse-user-story-siu/#comment-7036

      A única coisa que repito (no segundo link) é com ironia, pois estou esticando a lógica para demonstrar como ela não se sustenta (foi isso que Einstein fez com a lógica Newtoniana. Sem a ironia, claro. Mas nada pessoal)

      É difícil pra você aceitar que ToG não é o centro de um universo, usou até a possibilidade de um planeta que abrigasse toda a torre. Se você fizer uns cálculos, com pouco conhecimento de matemática, vai ver que um planeta pra suportar a torre de deus teria quer ter 2 Terras e meia em solo fixo.

      Ninguém aqui curte ficção científica. É isso, que ocorre, né?! (Aqui entrariam as referências que eu disse de 2001. =/. Sorry). Mas eu tenho certeza (Tendo uma leitura do comportamento mental, a partir do que escreve, tenho base o suficiente pra afirmar) que o SIU curte.

      Vamos lá:

      https://sleepingscan.wordpress.com/spoilers/comment-page-2/#comment-6923

      Seu cálculo diz respeito a isso aqui.
      “3º) Se a torre for material
      – Hotel (Mangá) – LINDO DA DINDA! :~~ [mas acho que ajuda a mostrar o que a torre não é e porque não o é]…”

      E isso aqui mostra onde isso que você disse (em negrito) não refuta o que eu propus.
      “– Qualquer planeta não rochoso. De preferência um “gasoso”. De preferência um gigante. De preferência gigantesco, do ponto de vista de um planeta gigante.”

      “Sobre caminhar em um planeta “gasoso”
      http://www.megacurioso.com.br/jupiter/99649-se-jupiter-e-um-gigante-gasoso-seria-possivel-caminhar-em-sua-superficie.htm

      E porque perspectiva é tudo
      http://gizmodo.uol.com.br/esta-chovendo-diamantes-em-saturno-e-jupiter/
      (do ponto de vista de quem estivesse em camadas mais internas – do que as camadas nos quais os diamantes se precipitam – de Jupiter, fenômenos poderia até ter nomes [“chuva de diamantes”] que não faria sentido pras camadas mais altas [chuva no sub o que? terraneo não seria])

      Planeta do Tesouro da Disney até não fugiria muito disso (apesar de ser um espaço sideral aberto mesmo).

      E Solaris que eu citei também dá uma boa explanada nessas possibilidades “fluídicas” (diz respeito a fluidos) da organização estrutural da matéria [no caso, fala sobre possibilidades extremas de forma de vida]

      Um dos caminhos teóricos que levantei apenas usa essas possibilidades. Que ao contrário do que você quis expor, está longe de ser absurda, pra qualquer um que manja minimamente de atualidades científico-espaciais. SIU manja e, pelo jeito, praticamente só escrevia sobre.

      Além disso, pude resgatar uma outra referência que SIU dá que nunca vi nenhum de vocês dando a menor atenção (a não ser na teoria TUS spin off). o Vácuo. SIU cita, no guia de armas, a adaptação necessária para o uso dela em shinsoo, citando até a possibilidade de uso anterior delas (fora da torre) no vácuo.

      Sobre ser o centro. Sim precisa ser para os que participam dela. Não por motivos estruturais. Mas pelas motivações, até agora, dependem que seja. (Urek já poderia ter acabado com a brincadeira, se não o fosse, podia ter falado que aquilo tudo é uma piada ou uma mera “simulação do que é ser forte”/tron)

      Por isso previ uma natureza última “gnóstica”, caso a história seja mais simples do que eu realmente imagino, mas a torre ainda seria o centro absoluto sim e a visão materialista onde a torre definitivamente não é o centro (afinal estaria em algum planeta), mas existem motivos para que ela seja, para os envolvidos, tão relevante.

      Esse nível de informação é tratada na teoria. Eu sei que é teoria. Portanto pode estar errado (levantei até a possibilidade de ser algo mais típico de shounen, alguma parada sobrenatural gnóstica mesmo). Mas eu tenho certeza que qualquer uma dessas opções tem mais base do que a maioria da interpretação majoritária.

      Bem, eu mais analisei você do que suas teorias, mas é que é repetitivo e cansativo responder teorias estranhas que seguem a mesma base de 1 pilastre de razão segurando um complexo todo de viagens sem muito nexo fundamentadas no “talvez”. Na verdade é até pior quando se vê que sem mais nem menos você afirma certas coisas.

      Sem mais nem menos é uma visão que a Rachel seria kickada, para sequencia do plot, mas não o é e a teoria que embasou a afirmação continua de pé.

      Sem mais nem menos era a visão que perdurou por bom tempo que a voz seria do thorn. Tão sem mais nem menos que não o é (é algo interno). mas a teoria embasou a afirmação continua de pé.

      Fazer teorias é fazer apostas (com a realidade ou com outro modelo “rival” pra ver que é mais preciso). “Eu aposto que é de tal jeito e que sendo implica nesse nesse e nesse desdobramento” Se os desdobramentos vão na linha contrária e a teoria permanece, não é teoria, é, como você disse, “parcialidade” (acho “arbitrariedade” mais preciso. Porque eu quero que seja? não. Porque o uso costuma ser mais restrito ao o que eu quis dizer: forçado, porque se quer que seja)

      E também considero repetitivo e cansativo responder teorias estranhas que seguem a mesma base de 1 pilastre de razão (seja lá o que isso significar) segurando um complexo todo de viagens sem muito nexo fundamentadas no “talvez”. Na verdade é até pior quando se vê que sem mais nem menos você afirma certas coisas.

      Como por exemplo que a torre foi feita pra irregulares.

      E foi lendo elas que descobri que essas teorias estão tão imersas nessa onda de “agorismo” do século 21, que pensei em segurar mais essa ansiedade disfarçada.

      Traduz. Agorismo de agora (neste momento), né?! (duvido que seja sobre economia).

      Eu faço apostas para o futuro da obra. Teorias agoristas seriam as que estou refutando. Que é tudo baseado em ficar mais forte, talento ilimitado, e pode tudo, mas não consegue nem perceber o que cada uma das coisas mostradas são.

      Eu queria era ter levado ToG a sério mais cedo. Ao fim de uma temporada relendo e falando “teorias estranhas e baseadas em talvez” provavelmente alguns já teriam entendido o ponto.

      Apesar de ser mais provável que a maioria ainda estaria falando coisas “nada estranhas e baseadas em talvez” tipo que a Rachel ia ser confrontada, kickada e ser plot superado.

      Quanto a torre. Ela foi feita pra irregulares. Nativos sequer podiam falar com guardiões até que Zahard implantasse esse sistema. Sem o uso do pocket isso também seria impossível. A vida dentro da torre parece um tanto irrelevante demais pra se pôr ao caso em uma teoria, quando simplesmente essa vida poderia não existir. Essa vida é vontade dos guardiões, eles controlam clima e densidade dos seus respectivos andares, então se há um terreno hóspito pra qualquer tipo de vida, ainda mais uma tão delicada como a humana, é por preferência deles. Quanto aos testes, aparentemente os 10GW demoraram trocentos anos pra chegar ao 134° andar, se era só necessário levar em papo com o guardião, porquê todo esse tempo? Abrir caminho pela área intermediária é um argumento estúpido, se isso fosse possível, porquê empacaram no 134°?

      Ahh, finalmente.

      Ela foi feita pra irregulares Não foi. Aposto que não foi. Minha teoria depende de que não seja
      Nativos sequer podiam falar com guardiões até que Zahard implantasse esse sistema. Isso é fato ou teoria? Seria impossível Luslec já ter conhecido um guardião então, mesmo que ambos fossem da mesma região e viessem a ter a mesma língua nativa?. Isso é tão fato quanto a voz ser do thorn. Eu aposto que não seja.
      Sem o uso do pocket isso também seria impossível. Então você afirma que o pocket é feito pelos guardiões e não por regulares (fábrica e afins) e os próprios Zahard e Cia receberam um (e não “desenvolveram um”). Se fosse como vocês afirmam os guardiões podiam dar um kit herói pronto pra cada um que entrasse. Eles não receberam nem armas. Tiveram que adaptar o que tinham. Pocket (no que tange o efeito prático para língua) é apenas como um peixe babel do guia do mochileiro das galaxias. Foi feito posteriormente pelos pioneiros. É mais um indício de como a torre foi feita PARA REGULARES.
      A vida dentro da torre parece… … preferência deles. O maior erro de todas as teorias de vocês. É por causa desse ponto que qualquer besteira que eu diga aqui tem mais chance de estar de acordo com o que vai acontecer do que o que vocês dizem. Não argumentarei nesse espaço porque não o é. Mas todas a minhas afirmações se baseiam em uma lógica que vai na contramão disso (que terá uma natureza exposta, e eventual desfecho na contramão disso). Nesse sentido a aposta já está feita. Independente de quem estiver certo (mas eu não tenho dúvidas desse ponto), mais pra frente esse ponto aqui será bastante ressuscitado.
      Quanto aos testes… …empacaram no 134°? Porque demorariam tanto se fosse questão de teste e a torre era feito pra eles? Demoraram porque tiveram que aprender as línguas, catalogar as coisas da torre, otimizar ferramentas, criar outras que sequer existiam tiveram que viver longos períodos em cada andar, estabelecer bases civilizatórias, negociar com guardiões. Se tivesse sido feito pra eles não deveria ser mais rápido? Os pockets de iniciantes garantem contratos “resumidos” até o 40º andar já. Qualquer um que tivesse que ir negociando andar por andar demoraria mais, certo?. Imagine todas as armas perdendo de novo e de novo os seus efeitos em cada andar (feitos, no máximo para um andar inferior, deveria ter no mínimo algum efeito de “cegar” a arma, ou no caso de eventuais armas a distância, diminuir impacto/distância). E nova adaptação. (vide cap 29)

      Não era bater papo. Era negociar, definir cláusulas. Cada guardião um tratamento tão exclusivo quanto o que Baam vem tendo com GoG. (Era isso ou dar uma de Enryuu. E se tratando de 134º andar, em um andar com densidade bem maior que a do 42º andar. Isso é pouca coisa pra você? Ta serto.)

      Abrir Caminho sempre vai ser mais demorado do que “traçar um caminho já existente. Vocês estão defendendo que era uma espécie de caminho já existente. Isso é ilógico. Empacaram porque o caminho não foi aberto. Por isso. O guardião não aceitou negociar. Só daria no braço. E ainda é possível que faça parte do contrato de Zahard alguma espécie de cláusula de não agressão aos guardiões. Isso tudo aumenta a burocracia e é mais do que suficiente para impedir a subida. Afinal, o único que até hoje se tem notícia de ter agredido um foi o Enryuu.

      A resistência inata dos irregulares pode dar ao fato de que eles vieram de fora, isso é simples. Analisando só um pouco, sem ficar complicando o que não é complicado, dá pra chegar a conclusão de que essa resposta é perfeita, nem muito boa nem muito ruim. Você já parou pra pensar no uso do ar na vida real? Ele é responsável por quase todo tipo de vida, seja ela grande como um humano, ou pequena como a bactéria do môfo. O sangue precisa de oxigênio, presente no ar e na água, o sangue é o que compõe mais de 90% do nosso corpo, de formas diferentes, em estado de órgão e etc. Na torre o shinsoo simplesmente substitui essa necessidade de ar, tudo na torre foi feito/nasceu pra funcionar com shinsoo, então nativos crescem sobre influência indireta e constante desse material “místico”, o qual não sabemos todas as propriedades. Do alimento à respiração, o shinsoo tem participação. Mas, o shinsoo tem oxigênio na estrutura nativa dele, ou ele literalmente substitui o oxigênio? E se o faz, o que impede de substituir outros materiais vitais pro corpo? Essas não são exatamente perguntas, só tô insitando-os a pensar.

      Essa parte é a que me referia a Steven Universe. Aparentemente substitui tudo como ocorre com as “Jams” (E os padrões do cartoon são bastante consistentes, apesar de não muito complexos ou profundos). Tecnicamente, shinsoo não parece substituir um ou outro elemento. Ele substitui a própria lógica atômica. E isso não deve ter sido feito por motivos complexos. Mas pelo contrário para simplificar (pra que ter que criar uma tabela periódica fictícia e porque ficar preso a física do mundo real). Nesse sentido ele funciona como o tal do “reiatsu” de bleach que substitui tudo (e possibilita o concerto, aumento, diminuição, ou seja, manipulação da matéria proposta).

      Aliás, isso é bastante comum em obras orientais.

      Eu aposto que não haverá uma explicação muito detalhada sobre o shinsoo em sí. Já sobre os andares, faixas de densidade de shinsoo e guardiões…

      Analisando só um pouco, sem ficar complicando o que não é complicado, dá pra chegar a conclusão de que essa resposta é perfeita, nem muito boa nem muito ruim. Assim como dizer que a Rachel estava no andar do Headon com o Baam seria complicar. Como dizer que a Rachel não seria só esperta era complicar. Como dizer, antes do SIU ter que confirmar, que a Rachel era irregular seria complicar. Como dizer que a voz não veio do espinho, seria complicar.

      Se não tivesse nada disso, seria perfeito. Nem muito bom ou ruim. Se a Rachel não tivesse traído o Baam eles estariam subindo upando e vendo o que apareceria para eles.

      Não teria esse estabelecimento de personagens falando coisas que não é bem assim porque a informação intencionalmente está sendo ocultada pelo SIU.

      É. Tem razão. SIU realmente gosta de não complicar. O negócio dele é simplificar.

      Em resumo, o corpo dos nativos nasce do shinsoo, há shinsoo em cada canto desse corpo, pois ele leva suas propriedades próprias pra suprir a necessidades do corpo. Já os irregulares tem um corpo que não teve necessidade de shinsoo para a criação. Logo os nativos sendo como parte do shinsoo estão muito mais sujeitos a distúrbios no shinsoo ao redor, eles são como águas-vivas na água, se bater na água ela vai ondular e a água-viva acompanha essa ondulação. Os irregulares estão mais pra um cachorro nadando, a não ser que bata realmente forte na água, o cachorro vai continuar intacto. De forma simples, a água-viva está sujeita as mínimas variações, enquanto o cachorro só vai ser afetado por alterações realmente grandes.

      TADAM. Esse é o ponto.

      Concordo em gênero número e grau. Tirando a conclusão a partir.

      Isso vale pro raso muito bem. Mas e na lógica de um mergulho? Quanto mais se mergulha (quanto maior a densidade daquele meio) maior a tendência de quem veio de fora ser esmagado e quem é de lá não (seu relógio, você sem roupa/veículo pressurizado). Então ou se faz um descida e subida bem lenta para não sofrer efeitos das mudanças de pressão, ou tenha um equipamento próprio para faze-lo.

      E esse é o ponto. Adaptação. (Não no sentido apenas da água, mas também análoga à adaptação à escuridão, por exemplo).

      É exatamente isso que defendi que são os irregulares. Café com leite (defensivo ou ofensivo), para efeitos do uso do meio, assim que entra no raso. Sendo assim qualquer ferramenta de efeitos “físicos” diretos – mesmo vindo de fora – podem fornecer vantagem, caso ninguém lá dentro tenha ferramentas análogas (e suas adaptações naturais não façam efeito no oponente). Mas com o passar da permanência dentro, quem veio de fora passa a ter sua própria constituição substituída/adaptada pelo meio. (Essa substituição de substância constituinte é bastante vista em shounens que tratam de alguma substância de poder) Isso é o que acontece até mesmo dentro da torre intermediária/externa próxima “urbanizada”, com os regulares, e explica o estabelecimento que nativos de andares mais altos não necessariamente tem vantagem sobre os nativos de andares mais baixos. Porém, para quem vem de fora, em níveis mais densos, o pós adaptação livre pode ser perigoso porque mesmo as vantagens físicas dos “externos” desaparecem uma vez que (mesmo que não fique mais difícil se movimentar, devido a adaptação) as ferramentas físicas perdem cada vez mais seus efeitos (o que forçou as adaptações destas ferramentas), e o uso de “adaptações naturais” de nativos (manipulação de shinsoo) devido ao maior volume envolvido em fenômenos com maiores densidades, podem igualar ou até inverter a ordem de vantagem, com o passar de “faixas de densidade” (andares)

      Isso significa que seres de andares baixos (e mesmo guardiões dos primeiros andares) não teriam chance contra irregulares, mas com o passar dos andares a situação pode se inverter. Os marcos dos andares (andares de destaque 1,2, 20, 40, 43 e afins) pode ser devido a isso.

      Nesse sentido passa a ser vantajoso para ambos os lados a negociação – quem veio de fora e quem pode ajudar nos paranues adaptativos – e a constituição de contratos que permitem os que chegaram de fora forjarem ferramentas especiais com permissão dos guardiões (vide cap 29), em troca de ser impossível, para qualquer civilizado sob aquela “constituição”, mesmo os que eventualmente tivessem poder para tal, agredirem os guardiões, mesmo dos níveis mais rasos/menos densos.

      Esse, inclusive, é o ponto central da minha teoria (no que tange a torre civilizada, império zahard e torre interna). E sim. Isso parece muito mais preciso (dá conta de muito mais informações fornecidas) do que qualquer coisa que vocês tenham falado até agora.

      ,
      ,

      Just relax, todas as minhas teorias são “tendo uma leitura do padrão estabelecido, a partir do que SIU escreve, tendo base o suficiente pra afirmar”.

      E, tendo uma leitura do padrão pré estabelecido, a partir do que SIU escreve, tenho base o suficiente pra afirmar: A TORRE NÃO É FEITA PARA REGULARES

      (Com isso estou apostando que: se SIU fosse/for questionado sobre isso ele responderia/responderá algo como “Não. Vamos dizer que os irregulares podem tirar vantagem de certas liberdades que regulares comuns não tem e por isso são capazes de mudar a torre. Mas não é como se aquele mundo tivesse sido feito aguardando a chegada deles.”)

      E “tendo uma leitura do comportamento interpretativo, a partir do que vem sendo escrito, tenho base o suficiente pra afirmar que” se tu consideras triste ler minhas teorias hoje em dia, deve saber o que sinto sobre saber a teoria sua e a do Enryuu. (Culpa dessa educação maldita, ¬¬)

      Mas ok. Vamos todos esperar a próxima simplicidade narrativa do SIU.

      Ótimas leituras pra 2017, meus perdidinhos. ^^

      • Não é feita para IRREGULARES*

        • Enryuu disse:

          Eu até arrumaria pra você, mas seu comentário é tão ridiculamente grande que provavelmente me perderia no meio dele.

          • Haha.

            Mas texto grande é tão bom pra treinar interpretação, moço. haha.

            Se avexe não. Pode deixar do jeito que está. O que importa é a precisão conceitual e a publicidade para a posteridade, num sabe?!

            Depois, precisando, é só ir resgatando as citações e fazendo a referência bibliográfica.

            • Enryuu disse:

              Deve ser legal fazer aqueles trabalhos de faculdade com você rs.

              Li a maior parte do comentário. Pelo celular é confuso, já no PC é melhorzinho. Não posso responder agora porque iria perder muito tempo em que poderia estar pondo ToG, então mais tarde (beem mais tarde) volto.

      • “Isso é o que acontece até mesmo dentro da torre intermediária/externa próxima “urbanizada”, com os regulares, e explica o estabelecimento que nativos de andares mais altos não necessariamente tem vantagem sobre os nativos de andares mais baixos.”

        Isso = essa adaptação.

      • Eu gosto de ficção científica rs.

        Chali, suas teorias são boas, os pontos que você aborda me ajudam a refletir sobre várias coisas(conceitos) sobre ToG. A lógica é boa. Já que é uma das características do SIU de fato. Mas vou dar uma dica pra você, o SIU é eclético, então não se limite a apenas uma fonte. Porque o SIU se aproveita de mais de uma fonte de conhecimento.

        A próposito, a Torre existe para Regulares, ou melhor, Ela existe para aqueles que habitam o seu interior. Os Irregulares são apenas um mecanismo(muito importante pra ser exato) da qual a Torre precisa para … Isso parece ter ficado mais claro com os capítulos atuais(a história atualmente).

        Uma resistência ao shinsoo milagrosamente alta como a da Yuri é muiiito rara.

        OBS: Não tente deduzir nada sobre mim, kkkkk-

        • Eu acho que o mecanismo de importância dos irregulares surge quando eles entram.

          Podia ser qualquer um que fora do establishment de Zahard (contratos, pockets).

          Entrou sem pocket+”ticket” (seja por vias naturais ou artificiais), VIROU irregular. Para o establishment, é alguém de fora do ambiente que adentrou (obviamente pelo raso) e pronto. Não é alcançado (naquele primeiro momento) pelo sistema vigente. É livre. A PARTIR DISSO ele se torna alguém bastante relevante:

          por sua relação não mediada com o ambiente o caracterizar permanentemente como fura fila
          por ele ter “tempo” de “forjar”/estabelecer sua própria tendência/escala de talento futura quando a “adaptação” e, por consequência, “necessidade de mediação/regularização” se estabelecer com o passar dos andares.

          Isso explica desde casos típicos (Urek, Zahard), passando por casos como Baam (até a chegada ao GoG, segundo o próprio [e vários outros], estava fora dos padrões das teorias majoritárias) chegando até a casos como Rachel.

          CHUTE: Quando Baam estabelece o 1º contrato, o guardião diz que aquilo não é o poder dele, mas sim suas algemas/correntes algo assim. Vai que Rachel pode até ter sido orientada pelo Headon a não formar contratos. Vai que jogar no hard permite o final verdadeiro? (ser imune a Zahard e só aí ter chance real de mata-lo). Vai que isso que deu errado com o Phantaminun & Cia.

          Apenas chute por diversão. Só desconfiança dos twist destruidores do SIU.

          Mas tá estranho. Um monte de coisa ocultada tá “estranha”.

          Demônio/voz do baam sumiu.
          Rachel não vai pro GoG.
          etc.
          etc.
          etc.

          ToG é um ótimo programa de “meio férias” . Uiii! \o/.

          • 1 – Sim, a Torre precisa dos Irregulares. Esse mecanismo é ativado a partir do momento que eles entram na Torre. Por não se adequarem ao sistema implantado por Zahard e não estarem sujeitos as leis e contratos do mesmo, os Irregulares ganham uma maior relevância. Agora pra que os Irregulares entram na Torre? Forçados? Por vontade própria? A Torre simplesmente os transporta para dentro? E pra quê eles servem … mudança, estabilidade ou algo mais do que isso? Eu nunca achei que Irregulares são os mais fodões que podem fazer tudo que quiser dentro da Torre a.k.a estilo Urek que diz: To nem aí pra porra da Torre, que o idiota do Zahard fique com o seu trono, eu vou é dá no pé(Acho que deu pra entender rs), e sair da Torre.

            2 – Então o que caralhos tu faz na Torre moço(Urek), por quê tu entrou na Torre, foi por poder? Será que o Urek aínda não percebeu a razão de ele estar na Torre? Por quê não faz sentido algum ter simplesmente um cara fodão(goku) dentro da Torre, e não servir pra porra nenhuma. Se fosse um Shounen, eu ficaria calado, mas não é caramba, é ToG mano.

            3 – Os Irregulares entram na Torre porque a mesma necessita deles. Agora pra quê serviu o Enryu? Só pra matar um Guardião? E o Phantaminum hein, só pra massacrar os membros da Família Zahard? E o Urek man, só pra entrar na Torre e querer dá no pé? Do Baam eu já tenho uma pequena noção do porque a Torre aceitou ele.

            4 – Agora sobre Zahard e os 10. Pra que eles serviram? Essa é a parte boa da história, porque nós já sabemos qual foi a finalidade(função) da Torre ter aceito Zahard e os 10. Eles realmente fizeram muiiita coisa hein. Só pra começar, vamos ver o que o Ashul Edwaru tem a dizer: Queridos leitores, Há muito tempo, Zahard entrou na torre enquanto ela ainda não era civilizada, ensinou aos habitantes sobre a civilização e os governou.

            5 – Não era civilizada? Civilização? Qual é o problema com o povo da Torre? Porque eles não criaram uma Civilização? Aonde tu táva nessa hora Macseth?
            Porque tu não educou esses barbáros kkkkkk- A resposta da última pergunta é simples rs. A Fábrica esteve fazendo o mesmo de sempre que é: “Ninguém sabe a origem da Fábrica e encontrar sua origem é o objetivo final do nosso grupo.”

            6 – Sobre a Fábrica: A Fábrica, (공방, 工房; “A Oficina”, “A Sala de Criação”, “Os Ferreiros” ou “Gong Bang”) da Torre foi fundada pelo Grande Pai, Macseth. Mas de acordo com Macseth, ela também existe fora da Torre e o objetivo final dela é descobrir a ordem e a razão de toda a criação do mundo. E ao fazê-lo, saber como recriar toda esta criação e com isso, o Deus de toda criação.

            7 – Sobre Macseth: Macseth vivia na Torre antes dos 10 Chefes de Família entrarem, e sua ajuda foi fundamental na subida das 10 Famílias. Pode-se dizer que a “ciência” que é usada na Torre se originou de Macseth, mas na realidade, não há quase nada que se sabe sobre Macseth.

            8 – Agora porque Macseth, ou melhor dizendo a Fábrica, não educou esses bandos de incivilizados, selvagens, barbáros, improgressivos e etc, etc … repare no improgressivos, pra onde foi o progresso minha gente rs? Bem, a Fábrica não vai dividir o seu conhecimento numa boa pra qualquer um que quiser, o motivo é: O conhecimento da Fábrica não pode ser dado a estranhos; esta é a regra absoluta da Fábrica. (Se alguém sair do grupo, seu conhecimento, pela lei, será “selado”.)

            9 – Civilização hein rs. O que é uma Civilização? Civilização é o estágio de desenvolvimento cultural em que se encontra um determinado povo. Este desenvolvimento cultural é representando pelas técnicas dominadas, relações sociais, crenças, fatores econômicos e criação artística.

            10 – E como ela se desenvolve? O desenvolvimento de uma civilização ocorre lentamente, logo é um processo. Vários fatores podem influenciar no desenvolvimento de uma civilização como, por exemplo, recursos naturais de uma região, clima, proximidade com outra civilização, liderança exercida por um determinado período, etc. Uma civilização pode ser movida pela vontade, de seu povo ou liderança, de acumular riquezas, obter conhecimentos úteis, dominar militarmente outras regiões ou até mesmo buscar a qualidade de vida para as pessoas.

            OBS: Sinto por tantas perguntas Chali kkkk- A próposito o Baam entrou sem um Pocket(como você já sabe rs) e peste do Headon-Nim não queria dar um pra ele rs. Acho que o Baam não tem mais nenhum contrato com os Guardiões e não lembro da Rachel fazer um contrato, também acho que ela não tem um contrato. Se deu errado com o Phantaminum, então tudo está perdido, só que não hein kkkkkk- O demônio voltou pro Inferno da aonde ele veio rs(brincadeiras a parte) Acho que ele está esperando um momento de fraqueza do Baam ou quem sabe esteja apenas tirando um cochilo pra variar(Enryuu? rs) Aínda to cabreiro com a Rachel não ir pro GoG, o que a Bitch tá tramando, além de querer um Thorn pra ela. Nos der uma luz SIU rs.

            • Quando eu critiquei o “simplismo” narrativo proposto pelo Yrs atualmente e pelo Enryu, não era bem dessa complexidade gratuita que eu estava falando.

              Eu ainda to tentando imaginar um jeito melhor de transmitir isso. Mas por hora…

              É cansativo ter que explicar tudo sempre a partir do zero, mas quem sabe sirva para a posteridade das discussões. Então, bora lá.

              Eu ia incluir algo como isso na resposta pro Yrs, mas preferi apenas enfatizar que ele está errado mesmo.

              [Como interpretar qualquer texto da sua vida para além da coesão] (ou “aquilo que seu professor de física passou o ensino médio inteiro falando e você não entendia o que caralhos ele tava dizendo porque” ou “Porque problemas de lógica deveriam ser matéria escolar desde a alfabetização”)

              [[1 – Identifique a pauta/matéria/assunto]]
              1.a – Se situe sobre quais recursos estão sendo tratados
              1.b – Na física, se for ótica não vá interpretar como termodinâmica, etc etc etc;
              1.c – Isso ajuda a indicar os pacotes recursivos que você tem que se atentar em dada leitura.
              1.d – Serve pra leitura de receita de bolo e manual de instrução a texto jurídico e/ou teórico/filosófico/científico/matemático

              [[2 – Em casos de histórias com enredo isso também pode aparecer]]
              2.a – Identifique se o pacote de recursos é aberto (indefinido) ou fechado (fechado).
              2.b.1 – Obras como Dragon Ball onde o autor vai criando de acordo com os últimos passos dados são exemplos clássicos de “pacotes abertos de recursos”. Desligue o cérebro e deixe o autor te levar
              2.b.2 – Isso não é necessariamente defeito. Mesmo obras mais “sérias” como The Walking Dead (hq) seguem essa linha. O autor vai com o fluxo, logo não tem motivo para o leitor não o fazer. Mais que 2/3 certeza da literatura mundial segue essa premissa
              2.c.1 – Agora, se a obra apresenta seu “ápice” já pré estabelecido, um sistema de calibração de relevância na trama, com todos os locais e personagens – mesmo os que ainda não apareceram – já calibrados por esse sistema, trata-se de um “pacote fechado de recursos” (Na matemática chamam de conjunto condicionado. Porque elementos são sujeitos a condições lógicas para fazer parte desse conjunto).
              2.c.2 – Essa forma de escrita funciona como aposta. É condicionada. É análoga, na não-ficção, a manuais de instrução/tutoriais (onde o ápice é o objeto pronto/acabado, e seguindo a trilha você deve chegar lá), e, no campo mais “sofisticado”, a textos científicos (uma aposta sobre a própria trilha escrita, já que tenta provar que o que está sendo escrito chega ao final único da ciência: realidade). Não a toa, esse recurso é, proporcionalmente, mais disseminado dentro da Ficção Científica.

              [[3 – Isole os termos]]
              3.a – Se se trata de obra de pacote fechado de recursos, basta atentar-se ao o que parece fazer parte do pacote e o que não.
              3.b.1 – No caso de não ficção basta ir atrás de leis científicas, enciclopédias ou até “livros didáticos”, em casos amplos, ou voltar a primeira página em caso de manuais de instrução.
              3.b.2 – No caso de ficções/narrativas, procurar atentar o que aparece na história, o que não aparece mas não contradiz o pacote condicionado, o que não faz sentido estar dentro do pacote, e o que, se fizesse parte do pacote, já teria sido minimamente referenciado, devido temas que deveriam estar relacionados/implicados já terem sido tratados (e a referência nunca apareceu, sequer foi insinuada).

              [[4 – jogue na fórmula ]]
              4.a.1 – Tá. Não são bem formulas. Mas siga os passos de quem criou as formulas: relacione os elementos condicionados.
              4.a.2 – Ou bota na tabela, no caso de problema/jogo de lógica.
              4.b – Boas leituras.

              Então é melhor usar pacote fechado de recursos?

              Não necessariamente. Eu gosto disso. Então me torno parcial sobre isso, claro. Mas tem como escrever coisas chatas ou obras frias (sem carisma) mesmo usando pacote fechado de recursos, e obras muito boas mesmo não usando.

              A tendência é que essas obras sejam mais previsíveis, no bom sentido, por haver padrões pré estabelecidos que tendem a ser respeitados. A ponto de permitir ambiguidades intencionais e “desinformações” dentro da obra (entre os personagens). Na verdade, a desinformação entre os personagens costuma ser um elemento bastante repetido nesse gênero, já que o que vale, são os padrões.

              Mas o que isso tem a ver com o SIU e ToG?

              Para mim, ToG (só ler a 1ª temporada [ eu percebi no jogo do pega mas o final voltando pro primeiro andar terminou de me convencer]) demonstra ser EXATAMENTE o caso de pacote fechado de recursos.

              SIU provavelmente é um autor que “se formou” enquanto autor – no caso, amador – de ficção científica. Todas as obras anteriores dele, parecem que o são, e ToG – sendo mais pop ou não, sendo mais shounen ou não, inclusive se mesclando beem mais com fantasia ou não – parece continuar trazendo elementos de rigidez “exploratória” (ou seja, a chance das coisas acontecerem aleatoriamente/arbitrariamente [isso tem até um nome: Deus Ex-Machina – ou como eu chamo: o mítico conhecido por todos que nunca foi citado] ou passar por cima de causalidade, é praticamente nula) típicos de ficção científica.

              Mas não é isso que torna SIU ou ToG foda. Como já disse, é possível escrever coisa chata usando pacote fechado e coisa boas usando pacote aberto.

              O que torna o SIU foda, usando ToG como base, friamente falando, é exatamente dar conta de tanta coisa (mundo proposto, instituições, desenvolvimento de personagens, motivações, diferenças de personalidade, alívio cômico, ação, recortes para pacotes condicionados mais restritos dentro de pacotes condicionados [testes e táticas dentro do teste, sendo que teste já é dentro do pacote maior “establishment da torre” {estilo boneca russa} ]) ao mesmo tempo ainda fazendo plot twists e ainda por cima dando pistas. É uma baita administração narrativa.

              Minhas teorias

              Todas se baseiam nisso. As mais amplas principalmente.

              Então sim. Tenho base para minhas afirmações. Ponto

              Respostas

              1 – Não importa pra que entram na torre. Se importasse haveriam profecias em ToG sobre a chegada de escolhidos [irregulares, segundo a teoria do Enryu], como há em harry potter, como há em outras obras. Não há sequer uma insinuação sobre profecias. Não existe coisa como destino fechado em Tog. Existem caminhos/implicações de escolhas. Não existe nenhuma indicação de Guias sendo usadas para fazer preparativos para irregulares que estão para entrar.

              Provavelmente, por exemplo no caso da FUG, planos são elaborados com base no último (essa minha afirmação implica que isso será plot sobre o passado do Urek), espera-se o próximo entrar, e a partir disso colocam em prática o plano que já devia estar esperando há séculos/milênios.

              Em ToG é tudo baseado no conhecimento passado. Futuro está mais para encaminhamentos/programações como na triologia matrix.

              2 – Chuto que é erro de interpretação seu. Quais são as obras mais adultas da Marvel e DC? Resposta: são aquelas que desconstroem o papel típico e pré estabelecido dos superheróis de servirem para algo maior. Seria shounen/juvenil TER QUE servir para algo maior dentro da torre. Bleach teve uma ultima saga inteira tentando dar uma serventia pré-estabelecida pro seu protagonista [ah ele é ligado ao último boss]. Mesma coisa Harry Potter.

              Tog não parece ser o caso. Urek parece ser um retrato das relações não predestinadas (talvez ele tenha ficado forte muito cedo para poder ser dominado e instrumentalizado por alguém, como foi o Baam). E provavelmente (com base em suas intenções) sirva de gancho narrativo para plots sobre a natureza última da(s) torre(s).

              3 – De novo. Não. Provavelmente sua noção esteja errada. Se você só sabe do Baam. Então ele seria exceção. Sob qual lógica a exceção vira a regra?

              A Torre não precisa de ninguém. Irregulares aparentemente são uma boa oportunidade para quem quer mudanças apenas (já que tá aqui, pode ser usado pra viabilizar algo [FUG sobre baam]). Capacidades especiais de irregulares faz deles necessários. Não necessidade dá a eles capacidades especiais. Todos os irregulares até agora são exemplos disso. Irregulares são desejados enquanto “via para algo” pelo o que se sabe de casos passados, não pelo o que se sabe sobre sua natureza.

              Aconteceria em obras do Alan Moore, do Mark Millar, do Satoshi Kon. Todos são aclamados por suas obras. Alan Moore é o pai de Watchmen, V for Vendetta, Batman: Piada Mortal. O cara é um gênio. Watchmen é um show de referências e quebra de expectativas. Me parece ser o caso do SIU.

              Não sei porque vocês tem essas demandas harrypotterniana/shounen sobre ToG.

              4- Não havia finalidade pra torre (“a torre precisando”). Provavelmente se havia alguma finalidade, era pros próprios 10 (“Os pioneiros precisando”). Tanto numa opção mais Gnóstica quanto em uma mais Materialista.

              5- Sobre o “problema com o povo da torre”. Como vocês são preconceituosinhos, ein. Até avatar lá do James Cameron é sobre isso e os “não civilizados” são os mocinhos. Nada demais. Credo. Saem dessa. (Para as Crystal Gems, humanos são bastante primitivos).

              Macseth TEM QUE ter sido um “nativo” com capacidade de falar com guardiões. No mínimo.

              É bem provável que ele já tivesse alguma relação mais avançada com shinsoo.

              É possível que ele tenha mediado os primeiros contratos, inclusive (essa poderia ter sido parte da importância dele na subida dos pioneiros). Afinal, faz parte das atribuições atuais de fazer itens que precisam de permissões dos guardiões, mesmo sem conhecimento do Zahard.

              Ele é um indício de que os contratos não são simples como Enryu e Yrs gostariam.

              Mas baseado no que se sabe, ele não tinha tecnologia desenvolvida antes. Talvez apenas relações avançadas com Shinsoo/Guardiões.

              Sobre o paradoxo do infotog, bem… calma. Se ninguém sabe a origem, ninguém sabe a formula. É melhor relacionar os termos baseando-se nos recursos que se mostram presentes.

              6- Plot centralzão.

              O infortog da Fábrica é uma das bases da minha afirmação que mesmo “irregulares” vem de dentro da torre (complexo). Serve tanto pro caso gnóstico quanto materialista.

              É indício de que “dignidade” só passa a fazer sentido já no âmbito “civilizado” e não tem valor universal (A torre em sí, ou mesmo os guardiões, não tem qualquer critério de “dignidade” formado).

              E ao fazê-lo, saber como recriar toda esta criação e com isso, o Deus de toda criação.

              Aí foi longe, ein. (Esse tipo de afirmação que me dá vontade de falar “shounenzou!”)

              Essa sua afirmação implicaria em um plot muito central e transcendental em relação ao que vem sendo mostrado até agora. Seria como uma saga do novo inimigo mais forte do que o guerreiro mais forte do universo (por exemplo: a porra do dr maki gero podia ter alcançado aquele nível de luta antes dos sayajins, né?! Ele teria dominado o mundo e o universo todo facinho, considerando o que freeza fazia com menos. Não precisava nem fazer androides e/ou cell.)

              Acho bastante difícil considerando a consistência e o pacote fechado de recursos de ToG.

              7- Ok. Você colou o infotog inteiro né? Falei no 5. Mas sim, esse tópico é bastante relevante.

              Nem por isso pode se concluir qualquer coisa. “joga na formula”.

              8- Bem, a Fábrica não vai dividir o seu conhecimento numa boa pra qualquer um que quiser, o motivo é

              O que você disse não é o motivo (causa). É a implicação (efeito) da norma interna de não dividir informações.

              E por que ele ajudou Zahard & Cia? O que ele poderia ter ganho com isso, se a fábrica, segundo você, está tão além?

              Cuidado com arbitrariedades que infantilizam a obra. Observe os elementos desse pacote fechado de recursos.

              Alguns podem pensar que este tipo de existência pode ameaçar o poder e o equilíbrio dos Governantes da Torre, mas este não é o caso porque a Fábrica não tem nenhum interesse nas disputas de poder e política da Torre.

              Eu chuto que isso é formalizado por contrato.

              Macseth deve ter visto, como já referenciei antes, nos pioneiros “de fora” uma baita oportunidade para entender a natureza que o cerca. (É isso que os irregulares são pra quem é de dentro e deseja balanços nos paradigmas da torre. Oportunidades.) E isso explica a não participação direta da fábrica nos assuntos políticos.

              Se a base for Gnóstica e os guardiões forem como Demiurgos, imagino que eles já desempenhem esse papel.

              O “pra que” não importa. Não parece fazer parte dos recursos estabelecidos para ToG

              9- Beleza.

              10-E como ela se desenvolve?

              Esse deve ser o plot das instituições da torre. Do Establishment. ToG passa por essa discussão.

              E sendo uma obra pacote fechado de recursos, ela pode não precisar de um mundo realmente aberto (Essa geração GTA é muito mal acostumada). Como boa parte dos guias de RPG. Nada demais.

              sobre sua Obs falar que o Baam não tem mais contrato é bastante arbitrário. Ele já fez um. Não sei se tem como fazer algo assim de fazer um, não fazer os outros e de boa. Foi mostrado que pra formalizar os bangs é necessário fazer.

              Baam tem fenômenos de irregular sim. Mas obviamente parte de seus poderes são devido contratos.

              Não sei se ele poderia formalizar bang e técnicas formais sem um contrato.

              Rachel não produz nenhum Bang. Não usa nenhuma técnica ou mesmo habilidade de suporte contratual. Só usa itens. Ela sim, faria sentido não ter feito nenhum contrato. (Mas a questão das posições podem estar me levando pro caminho errado, [eu tendo entender o Koon também não usar técnicas {se fosse questão d’eu querer ele já tinha um monte de poderzinhos shounen, mas o SIU consegue esmigalhar a linha reta típica shounen}]).

              Eu acho que os regulares apenas não veem o guardião diretamente como o Baam viu. Se não, Koon poderia ter ido, pelos próprios meios, tentar falar sobre o teste com o guardião do andar do Evankhell, que na verdade pode ser já do 40º andar, já que o pocket funciona até esse andar sem precisar de novos contratos.

              Pode ser que os Regulares nunca nem os tenham visto. Apenas recebam confirmação meio automática de contrato. Pode ser que aquela conversa mais direta do Baam com o Guardião seja algo que só rola com irregulares (fenômeno irregular).

              Pode ser que até o 39º andar não tenha guardiões, o que explica a subida dos pioneiros (podem ter matado ou não havia nenhum mesmo por baixa densidade), explica o pocket iniciante já ser até o 40º, explica Enryu (ele teria matado na verdade um dos primeiros guardiões).

              São possibilidades. Ainda não surgiu uma prova mais cabal que entregue que seja isso de fato. Mas é uma das coisas a qual estou atento.

              Sobre o Thorn ainda to tentando entender qualéqueé.

              Eu não acho que a Rachel queira o Thorn pra si. Não tem motivações estabelecidas pra White transforma-la em candidata a assassino, Yura a ajudar e afins. Baseando-me na consistência de ToG, eu diria que não.

              Traveller tá relacionado de alguma forma. Ainda não tenho certeza como.

              • Aula de interpretação gratuita, Oba! Sorte a sua que Português é uma das minhas matérias favoritas rs. O SIU é foda, isso é fato comprovado rs.

                1 – Eu me importo rs. Nunca achei que tivessem profecias sobre Irregulares. Já li Harry Potter rs. Também sei que não existe destino fechado. Já sei. A próposito, o SIU disse que Guias talentosos como o Evan também podem prever o futuro iminente como um profeta.(Isso é apenas informação rs) Adoro Matrix!

                2 – Marvel? Moço, aquilo foi uma piada, cadê seu senso de humor rs? Sei que não é o caso de ToG. Bleach … que decepção rs.

                3 – Confuso? Você disse exatamente o que eu queria dizer rs. Exceção não vira regra. Não dá pra usar HP como base pra ToG, isso é insano kkkkkkk-

                4 – Quando eu disse Torre, não me referia a ela em si. Mas sim, as pessoas que querem mudança. Você explicou bem isso, no ponto 3.

                5 – Calma moço, num tem preconceito não kkkkkkk- Concordo com o seu ponto de vista sobre Macseth. Bem, sabe-se que ele tinha uma ciência.

                6 – Tudo ok. PERAÍ! “ E ao fazê-lo, saber como recriar toda esta criação e com isso, o Deus de toda criação.” CHALI! Isso faz parte do post da Fábrica. Não é afirmação minha kkkkkk-

                7 – Sim. Sem conclusão boy rs.

                8 – Concordo!

                OBS: Cada Guardião é responsável pelo shinsoo do seu respectivo andar. Baam fez um contrato com o Guardião do 2F(Isso você ja sabe rs). Mas eu não acho que ele fez um contrato com os outros Guardiões, ou seja, não tem mais algemas rs. É possível manipular shinsoo sem um contrato, o Urek faz, Enryu também, a Rachel … Deixa os poderzinhos shounen para as outras obras a.k.a Naruto, Bleach etc … Regulares e Guardiões hein, por enquanto são apenas possibilidades. Thorn …

                • 1 – Demorei pra entender o “eu me importo”. Haha. Seu otaku fanservice. Hahaha.

                  Sobre o lance dos guias tem isso em uma nota. Eu interpretei como o lance que eu disse de caminhos. Se pá rotas de colisão. Baseado no fato de não haver indícios de predestinação, capacidade de prever escolhas que serão feitas e principalmente de casos de previsão de entrada de irregulares.

                  2 – Mesmo que não seja piada. Rlx. Tranquilo. Só quero dizer que provavelmente não exista essa “missão” pros irregulares. Se fosse pra apostar eu apostaria que não.

                  3 – Hm. To de olho nisso aí.

                  4 – Esssa última fiz com mais carinho. Vai começar um rolê por aqui e estarei uns tempos longe desses textões ( =~~).

                  5 – Hm. To de olho nisso aí²

                  6 – …

                  Putz. Verdade.

                  Ok. terei que pensar a respeito disso. (Faz parte das minhas teorias a fábrica ser pós Zahard).

                  Por ora, tá aí um ponto falho da minha teoria.

                  Não sei o que pensar disso.

                  7 – Qualquer = eu quis dizer arbitrária (não dá pra ser qualquer conclusão. então joga na fórmula). Ficou ambíguo mesmo. Mals. =X (eu fiz afirmações no 5, inclusive.)

                  Sobre o OBS: É sei lá.. O lance do guardião acho que é por andar mesmo. O lance do 40º é só o pocket. Provavelmente eu viajei nesse lance do baam.

                  Ele ter usado contrato e só aprendido empiricamente a manipular o bang mesmo, faz sentido sim. Condiz com o andar do Love mesmo. Tu está certo nessa também.

                • 1 – Tem em nota. Eu interpreto como previsão de caminhos (e eventuais rotas de colisão), já que não há indícios de previsão de escolhas feitas, papéis predestinados e principalmente de chegada de escolhidos

                  6 – Você tem razão.

                  Minha teoria passa pela fábrica ser pós Zahard.

                  Taí. Pode ser uma falha da minha teoria.

                  Não sei o que pensar sobre isso.

                  sobre o obs: Guardião, e até os contratos, são por andar mesmo. Falei merda ali. (só o pocket é até o 40º)

                  Não são possibilidades não. Esquece.

                  Sobre o Baam o que você falou também condiz. Faz sentido sim ele ter feito o contrato aprendido empiricamente o bang, e depois foda-se. Faz sentido mesmo.

                  • 1 – Explicando: onde quer que seja que fale que os guias são como gps ambulantes. É aquilo que uso como base. Diz que não podem certas coisas e tal.

                    Não achei onde isso é falado. Mas é esse texto do SIU que uso como base. Isso e não haver nenhuma profecia sobre predestinação conhecida em ToG. Daí considero “clarividência” como mais próximo do que parece ser.

              • SIU: Falando sobre o espinho, quero dizer que todo o seu potencial não foi utilizado ainda, e que sua versatilidade depende muito do usuário. Eu honestamente não sou um fã de protagonistas que tem papeis de deus ex machina, e não há quase nenhuma chance de tais evento ocorrerem no universo de Tower of God, então também planejo deixar o espinho como uma “arma em crescimento”. Claro, seu poder explodirá quando for necessário ^^ É inegável que o espinho possui habilidades consideravelmente poderosas.

                P.S: Depois eu posto minha teoria sobre a Torre, aínda hoje rs.

                • É DISSO QUE TO FALANDO! (o tempo todo)

                  Mas nãããão. A torre é feita PARA os irregulares (deus ex machinas encarnados) e eles são todos ilimitados e todos podem tudo e os guardiões e nativos da torrem existem apenas pra esperá-los. Pff.

                  P.S: Ok. E cuidado com os deus ex machinas que venham aparecer na teoria ein.

                  • Enryuu disse:

                    Teimoso demais. Me explica a existência da chave então. Regulares não podiam subir, meu amigo, isso é óbvio.

                    Headon não é considerado um guardião qualquer, tanto que ele seleciona pessoas para subir e pode se mover entre os andares.

                    • Me deu o ônus da explicação então não reclama do textão

                      Vocês são muito perdidos nas referências. Tá loco.

                      O próprio SIU fala sobre a impossibilidade de eventos de caráter Deus ex machina, você propõe um criacionismozinho para explicar e eu que sou o teimoso. Haha.

                      Com toda certeza algo menos shounen do que você propõe. Provavelmente algo com relevância menos definitiva do que você gostaria.

                      É mais fácil a chave ser algo como o selo dos próprios aposentos pessoais de Zahard do que o que você propõe (uhh abertura do próximo andar sem ele despertar. Isso é só uma eleição simplista e shounen do último parágrafo do infotog sobre ele, sendo que é tanto boato do povo da Torre quando a própria informação do novo andar quando ele despertar).

                      A chave pode muito bem ter surgido “depois de entregar os problemas públicos as suas filhas” (ele esta atualmente descansando/inativo), dando origem as 13 meses (que segundo a própria história, tem ligação com a chave, não tem?!). Assim como o Inferno de Evankhell teve seu programa complexo de testes formulado só após o episódio “Phantaminun”.

                      “Inatividade” para com o governo, permite preparativos para tentar subir a torre; ou ganho de tempo (caso o guardião do andar seguinte tenha requerido alguma condição específica de circunstâncias para permitir a “urbanização” do próximo andar); ou ainda proteção para com aqueles que podem “matar aqueles que não podem ser mortos” (Isso dificultaria um bocado os planos da FUG e condiz com a falta de qualquer referência de encontro entre Enryu ou Urek com Zahard)

                      O que garante muito bem a estabilidade dos contratos vigentes (Molic One curtiria isso).

                      Regulares não podem subir “: Pff.

                      Rota de Evankhell (valeu pelo lembrete Carlin). As zonas não urbanizadas da torre tem maiores densidades de shinsoo, e permitem sim a subida pela ligação física entre os andares (mas sujeitos a adaptação livre a diferentes densidades, e o querer ou não lutar com os guardiões). Se tem ligação entre andares, segundo o próprio SIU, faria sentido dizer que aquilo tem alguma ligação com a área intermediária. Esse é o caminho dos pioneiros. E tirando as questões de adaptações inatas (difícil de serem naturalmente readaptadas) os NATIVOS poderiam sim subir ou descer. Teriam desvantagens apenas de sair das suas próprias faixas de densidade. Descendo perderia, subindo perderia. Nativos deviam ter essas limitações.

                      As áreas internas são urbanizações civilizatórias para permitir o trânsito desses nativos. DE NOVO: irregulares sequer precisariam da torre interna urbanizada. Sua livre adaptação os permitia subir a torre até certo andar com muita facilidade.

                      E pra quem era lá de dentro, antes desses elevadores/atalhos do andar interno, essas longas migrações, sem um motivo específico, pra chegar em outro lugar parecido não devia fazer muito sentido. Pra Macseth talvez fizesse (E essa se mostrou, talvez, a sua grande oportunidade).

                      Houve um dia, que o 82º andar era o “próximo” andar, e chegando lá, haviam nativos. Entre eles Luslec. Muito dificilmente ele deveria ser apenas “um pokemon Lvl 28 do meio do mapa em comparação aos pokemons Lvl 2 do começo do mapa”. Nunca alguém do último andar vai começar a subir a torre já com nível de High Ranker ou mesmo de Ranker. Há adaptações. Equivalência de proporções. Ou algo do tipo.

                      Headon

                      Selecionar regulares = Função pós Zahard. (pós estabelecimento do império, e após REGULARES passarem a, pelo menos existir.)

                      Não é um guardião qualquer mesmo. É o único que está “abaixo” da hierarquia de Zahard (que Yuri pôde até lembra-lo do que ele deveria fazer). O único “não soberano” de seu próprio andar (Até regulares boquejando [ e nos outros andares?]). E o único que ganhou obrigações. (Mesmo aquela galera que chegava, sei lá, do 124º, ele ia lá ter que bater carimbo [Já que segundo o próprio SIU, quem não passa no 2º andar {e não morre, imagino eu} é expulso da torre interna], ou seja, você, pra variar, está confundindo até as atribuições de Headon. Ele não faz peneira, porque a peneira é no 2º andar. Então o que ele faz?)

                      Por isso mesmo, é o único guardião que parece dar alguma importância pra assuntos políticos da torre.

                      Ele é o único guardião, pelo jeito, que ingressou na civilização da torre.

                      Se move pelas regiões urbanizadas. DE NOVO. Função PÓS Zahard.

                    • Enryuu disse:

                      Respondo depois que terminar os caps, mas meus olhos sangram a cada comentário seu.

                    • Como os meus.

                      “torre para irregulares”.

                  • 1 – Ok.

                    2 – A Torre não é feita para Irregulares. Eles não são deuses ex machinas rs. Eles não podem fazer qualquer coisa. Mas, são extremamente poderosos.

                    3 – SIU: Enryu é como um munchkin*, então cenas dele lutando não aparecerão muito frequentemente. ^^;; (*NT: Um personagem excessivamente forte, overpower.) Enryu é o único Ranker na história a ter matado um Guardião. Ele também é um Irregular… É a figura que nos mostrou em pessoa porquê irregulares são odiados.

                    4 – SIU: Alguns de vocês notaram, mas o Urek é viciado em blefes. É um caso terminal.
                    Ainda por cima, ele é superpoderoso, então não há cura….

                    5 – SIU: “Os 10 Chefes de Família são pessoas que já estavam lá antes do Sistema de Ranking ser implementado, então suas atuais habilidades de batalha são difíceis de estimar em várias formas”.

                    BELEZA!

                    • 2 – Tem a Rachel nessa conta aí. Tem que haver alguma explicação.

                      SIU já declarou. Nada de deus ex machina.

                      Então nada de “revelação dentro de uma história vivida por um personagem, que envolva realizações pessoais complicadas, às vezes perigosas ou mundanas e, porventura, sequência de eventos aparentemente não relacionados que conduzem ao ponto da história em que tudo é conectado por algum conceito profundo”.

                      Rachel tem que se encaixar em qualquer teoria de irregulares.

                      Ou 1º essas habilidade têm que se estruturar de tal forma que não necessariamente todos se tornem super poderosos ou 2º existe um motivo muito especial, e já pré estabelecido, para ela não o ser.

                      Para SIMPLIFICAR o raciocínio, eu estou fazendo todas as afirmações baseado na 1ª opção. (já que o segundo abre possibilidade para presença de deus ex machina).

                      Daí vem minha afirmação de que irregular é uma questão de POSSIBILIDADE/facilidade de crescimento (OPORTUNIDADES). E não supercapacidades shounenistas (FORÇA EM SÍ).

                      baseado nisso vem a minha afirmação que não se trata de resistência a shinsoo o que baam demonstra no 2º andar. Mas ignorância – de quem acabou entrar no raso de um ambiente relativamente novo – a manifestações pontuais de shinsoo.

                      Baseando-me nisso, nas informações sobre torre externa, e a fala de White sobre quando era monarca, eu teorizo (independente de natureza gnostica ou materialista) que as regiões externas, tenham shinsoo tão pouco denso que povos que não saibam da torre podem até dar outro nome para esses materiais. Isso explicaria muitas coisas.

                • Aproveitando.

                  SIU: A relação entre ZAHARD e FUG é… Se parar e pensar por um segundo, você começa a ter impressão que a FUG é a única que fica preocupada sobre tudo, no entanto, nas 10 Famílias, somente os Chefes de Família são invencíveis, então a FUG é uma organização incrivelmente irritante para membros de uma família, já que ela comete atos de terror constantemente direcionados as 10 Famílias. Eles também tendem a ser bizarros e esquisitos… já que em alguns aspectos, o poder mais assustador é a fé…

                  Nãããão. Mas é simplão o plot. TUDO que a FUG quer é continuar subindo a torre com um toque de vingança. Pff.

                  Headon só quer que toda a torre seja conquistada.

                  Eis aqui, uma das pistas de que assassinos da FUG são irregulares e chefes da família se enquadra no “naqueles que não podem ser mortos” da Hwa Ryun. Ou, segundo gênios e imparciais, “uma complicação do que não é complicado”.

                  • 1 – OK.

                    2 – SIU: Apesar de ter certeza que vocês perceberam – caso leram o arco – a história de Tower of God gira em torno das 10 Famílias e do passado de Zahard ^^;

                    Por que a FUG está tentando matar Zahard?

                    Como Zahard se tornou o Rei da Torre?

                    Por que Mirchea Luslec queria transformar Baam num assassino?

                    Todas estas informações serão reveladas uma a uma (da mesma forma, sobre as Princesas de Zahard). Estimo que serão explicadas durante as partes 3 e 4.

                    3 – SIU: Há um equívoco de vários leitores. O talento do Baam com certeza é incrível, mas não “invencível”. Ele também tem fraquezas ^^. A FUG não o capturou por causa de seu talento, mas por causa do seu título de Irregular. Isso significa que eles escolheram o lado com a menor probabilidade.

                    4 – SIU: Headon foi o primeiro guardião que Zahard conheceu. Ele foi o primeiro a realizar os papéis normais de um guardião. Isto não significa que ele é o mais velho. A idade dos guardiões é desconhecida.

                    5 – SIU: Headon é um ser estranho. É difícil imaginar o que está na sua mente. Às vezes ele é como um anjo, e outras como um demônio. É por isso que gosto tanto deste personagem.

      • “Não argumentarei nesse espaço porque não o é. Mas todas a minhas afirmações se baseiam em uma lógica que vai na contramão disso (que terá uma natureza exposta, e eventual desfecho na contramão disso).”

        Relaxa, não foi fuga. Apenas deixei feitas várias dessas afirmações e explicações nas partes seguintes.

        1º. Porque demorariam… … ter agredido um foi o Enryu*

        É exatamente isso que defendi… …tenham falado até agora.

        • Nativos podem falar com um Guardião.

          Acho que antigamente … os nativos(nem todos, apenas os dignos) podiam se comunicar com os Guardiões de seu respectivo andar. O Luslec seria um deles.

          • Sobre atualmente: Acho que eles não neguem isso.

            Sobre antigamente:

            Se for uma explicação mais gnóstica, (na qual os guardiões seriam algo como demiurgos) pode ser.

            (nesse caso os contratos entre esses demiurgos e os “pioneiros” deve ser como relação titãs e deuses [um conquistando o poder do outro e estabelecendo uma era {contratos}], e os irregulares seguintes como heróis [humanos ascendendo à postos divinos {desafiando os deuses/contratos estabelecidos}]).

            Se for uma natureza mais “materialista” já fica difícil imaginar algo como “dignos”.

            Depende do que SIU estabeleceu como natureza da torre.

            • Gostei do Demiurgo. Também tem um Demiurgo na Marvel rs. Pode ser o caso já que os Guardiões não são seres absolutos ou imortais, Só é preciso um poder esmagador pra matar um deles. A resposta pode ser simples, mas na verdade não é, já que, quantos seres na Torre tem um poder capaz de fazer frente ou até mesmo matar um Guardião existem rs? Bem, o SIU ainda não abordou o que acontece com aqueles que morrem dentro da Torre. Mas a Torre se chama Torre de Deus por um motivo, já que as pessoas acreditam que tudo está no topo dela(Esse topo que não chega rs).

              A próposito, o que alguém ganha matando um Guardião? Eles são como a própria vida do seu andar. Veja o 43F como exemplo, o Guardião foi morto, isso fez que o shinsoo ficasse instável, o lugar ficou difícil de acessar, tem rio de sangue correndo por ele, a casca do Guardião tá cobrindo tudo, e pior que eu acho que o lugar é pior que o Trem Infernal.

              Agora que nós vamos conhecer o Inferno de verdade kkkkkkk-

    • Phantom Minion disse:

      Sei como se sente… Pera ai você e ele …E o Charlie…Foursome UUUHUUUU

  8. Yrs disse:

    Puta que pariu. Quer me fuder me beija Charlie, agora não faz um livro sem enredo pra eu ler pqp.
    Daqui a um tempo eu leio isso, sinto que alguma parte é direcionada a mim, em contra-argumentação ao que eu falei, mas tô totalmente sem coragem de ler isso. Isso é maior que o post de TUS.

  9. Yrs disse:

    O começo do texto eu entendi pouco. Formulação de escrita estranha, as vezes acho que você pensa mil palavras a frente e esquece de umas do momento em que está escrevendo. Estou escrevendo em um momento ligeiramente difícil emocionalmente (sou jovem, talvez seja só hormônio, mas não muda o que sinto), o que me faz pensar no porque eu estou me dando o trabalho de fazê-lo.

    “Estou partindo da premissa que o SIU tem um mundo todo estabelecido, causamente condicionado e correlacionado para tentar seguir pistas intencionais que ele deixa desde o começo da obra”

    Ah sim, isso é o que todos nós fazemos, mas há algo de diferente nas suas teorias, você pressupõe mais do que geralmente se pode pressupor a partir de um fato mínimo.

    “Se alguém tivesse dito, após o Baam subir para o 2º andar, que a Rachel tava no andar do Headon ainda vocês teriam falado que isso seria viagem. Mas essas pistas estão lá o tempo todo.”

    Isso foi uma surpresa pra você? Enryuu, Carlos ou qualquer outro que esteja lendo isso, pode me dizer se isso foi uma surpresa pra algum de vocês? (Sei que dificilmente alguém vai ler meu comentário se já desistiu de ler o seu, o que diminui bastante as minhas opções de quem posso chamar)

    “As ideias de que a Rachel ia ser quickada, que a Rachel foi especialmente humilhada pelo Headon ou achar que a voz era do thorn indica que a viagem não parte do lado de cá.”

    Você acha muita viagem esses pontos e não acha muita viagem o que você mesmo escreve?
    Mas discutindo esses pontos só, eu poderia julgar que esses são apenas ligeiros enganos, extremamente comuns em todo lugar, se você visitar mais lugares onde é discutido ToG, vai ver esses exatos enganos se repetirem, pois em geral são cometidos por quem acaba de começar ToG, ou por quem nunca deu atenção novamente a um fato que viu quando ainda começava a leitura de ToG (e também pode ser resultado de uma parcialidade: “não gosto da Rachel, então realmente parece que ela foi humilhada pelo Headon, isso não de deve a falta de reação do Baam quanto as palavras ríspidas do Headon” – ironia… Eu não costumava usar isso por aqui). Quais as probabilidades de uma mesma viagem se originar de duas pessoas de forma exatamente igual?

    “Quanto a “parcialidade”, é impossível ser imparcial, existe parcialidade no simples ato de aceitar/refutar algo.”

    Não. A partir dessa afirmação, um juiz não é apto a fazer seu próprio trabalho.

    “Eu nem conseguiria me ater aos detalhes se partisse para o que eu gostaria.”

    Na verdade, quando se percebe que é algo inconsciente isso se refuta. E parcialidade não é o contrário de lógica, vendo que as duas coisas podem percorrer uma mesma linha.

    Eu comecei a escrever era 23:30 eu acho, são 1:45 agora. Lendo aos poucos parece menos entediante, mas vendo que estou abordando estrofes para escrever é presumível que vou escrever um texto bem maior e provavelmente mais entediante :v *

    “Não me era novidade que fora da torre não há shinsoo. Tem no guia das armas. Nada demais.”

    Sim, provavelmente não era. Novidade foi sua reflexão e conclusão de que se não há shinsoo fora da torre, os monstros da torre são pessoas normais fora dela, e é a isso ao que eu me referia. E os seus argumentos seguintes a isso são o último ponto do qual me utilizei pra me convencer da sua parcialidade e da entrada em negação – ao não perceber pontos óbvios.

    “Novidade pra mim foi perceber que majoritariamente era admitido que se pra se entrar era necessário algum poder”

    É necessário uma habilidade especial, não um poder. Mas como vemos no caso do Phantaminum, se você já tem o poder, facilita muito.

    “tendo uma leitura do padrão estabelecido, a partir do que SIU escreve, tendo base o suficiente pra afirmar”.

    Decidi não abordar isso antes, mas parece que você usa isso ao final de cada conclusão.
    Mas… que padrão? Parte do charme de ToG não se deve à falta de padrão e portanto a dificuldade de previsão?

    “Tendo uma leitura do seu comportamento mental, a partir do que você escreve, tenho base o suficiente pra afirmar que” É apenas isso (tirando o mental ali) que eu faço com ToG. Simples assim.

    Ah.. não. O que eu fiz foi pegar um começo e um desenvolvimento pra chegar a uma conclusão. Você pega um começo e um (no singular) ponto do desenvolvimento pra deduzir o resto do desenvolvimento e assim deduzir um fim.

    “(galera, como vocês gostam de interpretar pessoas ein. [Todo mundo aqui faz psicologia é?]. E texto, vocês gostam de interpretar muito não? [Isso me deixa triste]).”

    Ninguém fez interpretação de pessoas. Eu fiz uma interpretação de um comportamento, e isso só foi eu que fiz aqui. E fica difícil interpretar um texto cheio de pensamento em entrelinhas e com mais pensamentos dentro dos pensamentos que estão nas entrelinhas. Além da má colocação de algumas palavras e proposições (nada demais) e em algumas vezes falta de clareza ou má expressão. Nada disso impediu a “galera” de tentar tanto entender o que você escreve, as vezes não o suficiente. Lembro que antes eu era o único que levava suas teorias a “sério”.

    São 2:49 :v percebi agora, que na parte dos “sempre” que eu falei sobre o Charlie, eu troquei o lugar do “quase”. O certo seria “você é atencioso sempre aos detalhes, viaja muito, mas quase sempre é parcial quanto ao que você quer/aceita”. Agora faz sentido eu ter mudado algumas frases pra encaixar esse “quase”. *

    “Os encaminhamentos dos plots que previ, pode ler lá se quiser, não estão no ritmo esperado, mas a direção…”

    Já li, mais de uma vez eu acho, mas não agora, é claro. Na verdade eu nem lembro de ser exatamente como está aí, mas como você disse “não está no mesmo ritmo esperado”. E foram pontos pequenos em um mar de viagens é claro, como ressalvas, e podiam passar batidos. Mas foi por causa desses pequenos pontos que achei que suas teorias tinham um fundamento, mesmo que pequeno, como falei pro Phantom bem antes de você aparecer de novo. Mas qual o mérito nisso? Você também erra, como todos nós. O Enryuu tem milhares de outros pontos que ele acertou por aqui também, assim como os que errou (na verdade, ele é mais reservado, então dificilmente ele deduz algo sem vários fatos pra comprovar).

    Achei que a resposta ao meu texto seria agressiva devido ao conteúdo. Quando comecei a ler a resposta eu achei que você estaria levando na esportiva, e até admirei. Mas aqui começo a ver que eu estava enganado. Mas como uma pessoa inteligente, você responde com argumentos, pelo menos um ponto positivo *

    “A única coisa que repito é com ironia, pois estou esticando a lógica para demonstrar como ela não se sustenta (foi isso que Einstein fez com a lógica Newtoniana. Sem a ironia, claro. Mas nada pessoal)”

    Não foi nenhum dos links, o que me referia está em spoiler eu acho.
    Agora um comentário sobre o segundo link ↓
    Os asiáticos (chineses, coreanos, japoneses) adoram essa frase: “como um sapo dentro de um poço” (essa é a versão japonesa, vária dependendo da cultura). Significa que alguém achava que era grande, quando na verdade ela não conhecia o real tamanho do mundo.
    E você não repetiu as palavras, isso seria óbvio demais até pra você perceber, você repetiu as idéias.

    “Ninguém aqui curte ficção científica.”

    Até curto :v

    “E isso aqui mostra onde isso que você disse (em negrito) não refuta o que eu propus.”

    Já tinha lido os artigos. São bem interessantes.
    Na verdade, não tentei refutar o que você propôs. E até um tempo atrás era difícil informar com certeza se há hidrogênio líquido em Júpiter pelas dificuldades de simular a pressão atmosférica de Júpiter em laboratório. Opa, acho que isso foi em 2009.. estranho, porquê eu tava lendo algo do tipo em 2009? quantos anos eu tinha?… estranho, muito estranho. Talvez eu esteja mesmo meio desatualizado, como você fala no trecho seguinte (não direcionado a mim, longe de mim pensar isso).

    “Que ao contrário do que você quis expor, está longe de ser absurda, pra qualquer um que manja minimamente de atualidades científico-espaciais. SIU manja e, pelo jeito, praticamente só escrevia sobre.”

    Está?
    Digamos que a torre esteja localizada dentro de um planeta gasoso (ainda não sei de que forma), já foram 2 Terras e meia em território até o andar 134 – excluindo as áreas intermediária e interna -, não se sabe quantos andares ainda faltam ser descobertos, e se não me engano, um planeta que chegue a ter 9 ou 10 vezes o tamanho e/ou massa da Terra começa a se comprimir/condensar.

    Não vou discutir mais do assunto, porque o comentário base que você usou foi um dos que eu não li por falta de sentido no começo do texto (sério, você tem feito muito isso ultimamente).

    “Traduz. Agorismo de agora (neste momento), né?! (duvido que seja sobre economia).”

    Essa parte foi totalmente mal compreendida. Mas a resposta está no trecho. Agorismo, ansiedade disfarçada, século 21. “Agorismo” é um conceito/idéia já definido, eu não o criei/inventei, então talvez se você googlar aí…

    Sobre as afirmações sem mais nem menos, sinceramente, se eu for abordar cada uma e explica-las vai aumentar cada vez mais o texto que já pouco quero postar pelo tamanho no qual já se encontra.
    (Mas tem espaço pra do Thorn)
    A voz demonstrava conhecimento que o próprio Baam não o tinha, não seria difícil achar que era vindo de algo externo, aqui aparece o thorn. Levando em conta o que o Beta falou, sobre precisar desse algo acestral (que no fim, estava dentro do tanque onde aconteceu o teste do peixe submerso) pra ativar o thorn, além de ter sido originado de um ser que supostamente pode criar vida a partir do shinsoo. Na época achei estranho, mas nada demais :v ainda acho o mesmo agora.

    A partir daqui eu vou parar de fazer citações grandes pra abordar um assunto todo, o texto não vai propiciar *

    “Não foi. Aposto que não foi. Minha teoria depende de que não seja”

    (Desculpa, não resisti)
    Bem, aqui está você afirmando com base em uma teoria, que por mais bem formulada que seja (sério, não li tudo mas tô adorando) ainda é só uma teoria.

    Bem, agora quanto ao resto. Sobre regulares não falarem com guardiões… my fault. Regulares não podem solicitar testes diretamente dos guardiões. O pocket é feito pela fábrica, a fábrica veio de fora, você lembra não é?
    Eu adoraria entender esse raciocínio: “você afirma que o pocket é feito pelos guardiões”.
    Porque demorariam tanto se fosse questão de teste e a torre era feito pra eles? se a torre foi feita para testa-los, qual sentido teria se tudo fosse totalmente fácil? e daí vem esses testes que segundo você não seriam uma lei ou ordem, que esses testes são uma regra de agora, como um produto da civilização que Zahard criou.

    Não era bater papo. Era negociar, definir cláusulas. Sério que você não entendeu a ação que você mais prática por aqui?… Ironia my dear Charlie. Eu sabia exatamente o que significava.

    Era isso ou dar uma de Enryuu. E se tratando de 134º andar, em um andar com densidade bem maior que a do 42º andar. Isso é pouca coisa pra você? Ta serto.
    ah… Quê?
    Sobre o que você tá falando?

    “Assim como dizer que a Rachel estava no andar do Headon com o Baam seria complicar. Como dizer que a Rachel não seria só esperta era complicar. Como dizer, antes do SIU ter que confirmar, que a Rachel era irregular seria complicar. Como dizer que a voz não veio do espinho, seria complicar.”

    Cara, você ainda tá falando comigo? Sério. Parece que o que você fala nem faz sentido, deve ter algum, então te desafio a vir explicar o que exatamente você quer dizer com isso.

    “Não teria esse estabelecimento de personagens falando coisas que não é bem assim porque a informação intencionalmente está sendo ocultada pelo SIU”
    Novamente, do que você tá falando? Seja explícito cara.

    “É. Tem razão. SIU realmente gosta de não complicar. O negócio dele é simplificar”. Ah claro, é tudo preto ou branco, cima ou baixo, 0 ou infinito, em pé ou deitado, parado ou correndo.
    Ou tudo é complicado ou tudo é simples, porque nada é meio termo. Aliás, não existe torre intermediária, só torre externa e interna.

    Agora sobre o que falei da água-viva e do cachorro. Sim, ela serve pro raso, e foi só por isso que eu a utilizei, não estou me utilizando de conceitos da água e das características que ela tem pra compará-la ao shinsoo, eu usei pra passar a idéia somente, não disse que os dois são semelhantes.
    Não temos nenhum indício, ou passagem qualquer que diga que alguém irá ser pressurizado em alta concentração de shinsoo, sabemos somente que o mesmo não pode se mover livremente, ou entrar nessa área.
    Sabe a parte sobre a resistência ao shinsoo dos irregulares ser dada ao fato de serem irregulares? Ela exclui um meio, ela te dá um fim, é um resumo, uma conclusão de desenvolvimento omitido. É como te dar um mundo de regras pré-estabelecidas sem explicar o porque delas serem assim. Então sim, ela é perfeita, ela não remete ao simplismo de fato, a explicação pode ser complicada mas o fato seria simples. Você meio que está questionando o que vemos todo o tempo na tentativa de explicar o “porquê”, vimos Urek com “defesa” e ataque enormes, Baam com o mesmo, vemos personagens sitando o mesmo com Zahard e os 10GW. E nada garante que a Rachel não pode fazer o mesmo, afinal, os 10GW tiveram bem mais tempo do que ela pra aprender sobre shinsoo. Vimos também o Baam entrar em uma área de reprodução de uma enguia de aço, lugar onde o ranker da wolhaiksong achou que não poderia se mover livremente, e claro, ele esteve no topo (134°).

    Irregulares atacando e defendendo na mesma força. Você ao menos sabe como o shinsoo é controlado? A defesa é fácil de se entender, mas e o ataque? Porquê eles controlam tão habilmente o shinsoo? Depende do corpo, mente ou algo totalmente diferente? Você não pode resolver uma equação quando nem todas as variáveis foram expostas, você pode pegar um começo e por um fim e no meio ir botando as variáveis necessárias para esse fim, mas essa não será a resposta absoluta, e qualquer equação feita nesse sentido sem desrespeitar as lógicas da torre pode ser tão convincente quanto a sua (não venha me pedir pra formular uma pelo amor do criador). E tudo isso vai soar como “tendo uma leitura do padrão estabelecido, a partir do que SIU escreve, tendo base o suficiente pra afirmar”.

    Sabe porquê parcialidade serve melhor do que arbitrariedade? Porque você não diz explicitamente “é assim e pronto”, você procura até o fim argumentos que rumem o enredo pra algo no qual você aceita mais (não estou dizendo que faz isso toda vez, jamais, é só quando algo foge muito do que você aceita). O que faz você gerar até boas teorias as vezes.

    É triste ver você lutar pra mostrar que algo é exatamente o contrário do que vimos no webtoon/acreditamos. É triste ver as teorias feitas ao tom casual que eu e o Enryuu fazemos, enquanto você se devota tão ávidamente a um quadrinho coreano? Bem, o que podemos fazer, não é?

    P.S.: Por mais que responda este comentário, deixo bem claro o meu sentimento de desinteresse no assunto, então não espere respostas.

    • Charlie: “Se alguém tivesse dito, após o Baam subir para o 2º andar, que a Rachel tava no andar do Headon ainda vocês teriam falado que isso seria viagem. Mas essas pistas estão lá o tempo todo.”

      Yrs: Isso foi uma surpresa pra você? Enryuu, Carlos ou qualquer outro que esteja lendo isso, pode me dizer se isso foi uma surpresa pra algum de vocês?

      Carlos: Isso não foi nenhuma surpresa pra mim.

      Charlie: “Novidade pra mim foi perceber que majoritariamente era admitido que se pra se entrar era necessário algum poder”

      SIU: Os andares da Torre Interna são separados fisicamente uns dos outros. Já a Área Intermediária é conectada… As pessoas de dentro da Torre não podem sair dela. Da mesma forma que é impossível entrar na Torre pelo lado de fora. ^^ (Com exceção daqueles com habilidades especiais)

      SIU: Os conteúdos do primeiro andar prenunciam toda a história de Tower of God.

      OBS: Existem lugares específicos da Torre, em que a densidade do shinsoo é extremamente alta. A rota de Evankhell é um desses lugares, a Enguia de Aço Branco tem um ninho estabelecido lá, elas se adaptaram para sobreviver em altas densidade. Felizmente para os Regulares, os locais de testes não são um desses lugares densos que até mesmo Rankers tem difículdade em se mover.

    • Que ao contrário do que você quis expor, está longe de ser absurda, pra qualquer um que manja minimamente de atualidades científico-espaciais. SIU manja e, pelo jeito, praticamente só escrevia sobre.
      Está?

      Digamos que a torre esteja localizada dentro de um planeta gasoso (ainda não sei de que forma), já foram 2 Terras e meia em território até o andar 134 – excluindo as áreas intermediária e interna -, não se sabe quantos andares ainda faltam ser descobertos, e se não me engano, um planeta que chegue a ter 9 ou 10 vezes o tamanho e/ou massa da Terra começa a se comprimir/condensar.

      Não vou discutir mais do assunto, porque o comentário base que você usou foi um dos que eu não li por falta de sentido no começo do texto (sério, você tem feito muito isso ultimamente).

      ????????

      Você é criacionista ou alguma coisa desse tipo? Viu isso em alguma revista adventista?

      Do que você está falando?

      Júpiter tem mais de 1,3 MIL vezes o tamanho da Terra. Tava no primeiro parágrafo do link do megacurioso. (Cabe 2 vezes e meia os outros planetas juntos do sistema solar).

      e a massa é 318 vezes a da Terra.

      https://pt.wikipedia.org/wiki/J%C3%BApiter_(planeta)#Massa

      Caramba. Que jogada de verde feia essa sua.

      Relaxa. Desinteresse bateu aqui tbm. O resto seriam necessários 50 tomos.

      Quanta ironia, você falar de absurdo e falta de sentido bem nesse trecho.

      Melhoras emocionais e melhoras lógicas.

      Abraços.

      • Yrs disse:

        Crlh, realmente não queria estar falando mais.
        Quando um planeta atinge 10 (ou 9, não lembro e tanto faz) ele se condensa e atrai materiais gasosos ao seu redor, assim ele pode se tornar um planeta como Júpiter ou Saturno, mas o núcleo base ainda tem o mesmo tamanho.

        Meu desinteresse é em escrever textos enormes em respostas em específico.

        Obrigado pelos sentimentos e tenha um feliz ano ano novo Charlie.

  10. Chali, vou responder aqui em baixo rs.

    2 – Também quero que o SIU explique-se. Não tem deus ex machina em ToG.

    3 – SIU: Muitas pessoas parecem pensar que os personagens nos quadrinhos estão refletindo a voz do autor, mas na maioria das vezes são apenas os pensamentos do personagem e não tem muito a ver com a gente (claro que em alguns casos, o autor falará por meio de seus personagens, mas neste caso você saberá imediatamente devido ao contexto da história).

    4 – Acho que o SIU tem um motivo para explicar a situação da Rachel. Irregular é um Título. Irregulares tem facilidade de crescimento. Pense melhor na “resistência”, porque ela faz parte da mecânica de ToG. Uma resistência ao shinsoo milagrosamente alta é uma das características dos Irregulares.

    5 – SIU: A Torre Externa, é o distrito residencial dos habitantes. Cada andar da Torre é tão grande quanto o continente da América na Terra. As culturas dos andares da Torre Externa são diferentes, os climas e temperaturas são todos variados. Todos eles são decididos pela a preferência do Guardião e do Governante do andar.

    6 – SIU: Manipular shinsoo externamente para mudar o ambiente, atacar o oponente ou realizar outras ações é conhecido como manipulação de shinsoo.Dependendo do grupo ou região, isso também recebe outros nomes como “Dominação de água” ou “Técnica de vento”.

    7 – SIU: Todo organismo vivo tem um fluxo individual de Shinsoo. Ao utilizar este fluxo, podem curar a si mesmos ou aos outros, ou conceder inúmeras habilidades. Lógico, o oposto também é possível. Se você aumentar ou acelerar o fluxo de shinsoo dentro de seu próprio corpo, você pode fortalecer e acelerar seu próprio corpo, mas também pode infligir uma quantidade proporcional de danos internos a si mesmo. Isso também se aplica aos outros. Se você controla o fluxo de shinsoo do seu inimigo além do limite, seu inimigo será reduzido a nada além de uma pele, como um balão d’água que estourou.

    8 – SIU: Não é impossível manipular shinsoo sem um contrato. Manipulação simples de pequenas quantidades é possível sem o contrato. E também, uma resistência inata ao shinsoo, uma habilidade de fortalecer o corpo que utiliza shinsoo, ou outras habilidades similares são todas habilidades naturais que alguém pode ter, e portanto não precisam de contratos.

    9 – SIU: As 10 grandes famílias, suas numerosas ramificações, e outras famílias conseguem manipular shinsoo sem um contrato. Isso não significa que eles não têm um contrato. Isso ocorre porque eles estão destinados a terem o contrato desde o nascimento.

    10 – A concentração(densidade) de shinsoo pode variar muito na Torre externa. Cada Guardião controla o shinsoo do seu andar. Existem várias raças especiais na Torre, Por exemplo:

    SIU: Rak é da espécie Wraithraiser. Então o “Wraithraiser” que ele usa como seu sobrenome é, na verdade, sua espécie.

    SIU: Uma raça famosa de Manipuladores de Ondas é a a raça dos Homens-Peixe. Já nos Portadores de Luz, os Da’ans são bem famosos.

    SIU: As Bruxas de Cabelos Vermelhos e o Anões de Cabelos Prateados são raças famosas pela suas habilidades excepcionais.

    OBS: A principal diferença entre Regulares e Irregulares, é a biologia, fisiologia, capacidades inatas, direitos dentro da Torre e não inclusão no Sistema Zahard.

  11. 4 – EU SEI que resistência faz parte da mecânica de ToG. Mas como o próprio 8 demonstra isso vale para regulares também.

    O que eu to falando é que os fenômenos da resistência de shinsoo de regulares é diferente do que foi mostrado do Baam no 2º andar

    Vamos ver se fica claro.

    1º Resistência inata a shinsoo da Yuri:
    1.a – fortalecer o corpo
    1.b – não sofrer danos onde qualquer outro sofreria
    1.c – tanto danos por golpes diretos físicos
    1.d – quanto dano por golpes a distância

    em jogo seria algo como constituição (menor dano)

    2º O que o Baam demonstrou no 2f:
    1.a – barreira de shinsoo não fez efeito algum
    1.b – não há indício nenhum que ele tivesse alguma resistência em proteção de danos
    1.c – ele se arrebentou todo ao ser derrubado pela Rachel
    1.d – ele nunca demonstrou ter o corpo de aço (a constituição) como da Yuri ou da Androssi, pra pegar um nível mais próximo.

    em jogo seria algo como “não fez efeito”

    Eu entendo que vocês estão focando no fato de não ser efetivo. O que eu estou dizendo é que a NATUREZA da não efetividade parece não ser a mesma do que é visto no caso típico de resistência (como da Yuri).

    A Rachel também parece poder se encaixar perfeitamente no 2º caso mas não fazer jus ao 1º.

    Eu não to negando a resistência inata a shinsoo.

    Eu to negando os atributos que estão sendo apontados como típicos de irregulares, os quais SIU nunca disse que são e de quebra ainda não faz sentido com o que foi mostrado, com um pouco mais de esforço interpretativo nem pro Baam, e com toda a clareza do mundo nem pra a Rachel.

    Minha interpretação é que vocês que querem que os irregulares sejam assim. Isso o tempo dirá.

    Mas eu apostaria tranquilo e calmo.

    • 4 – Sim. Na verdade, uma resistência inata ao shinsoo, que é milagrosamente alta(Yuri) é muiiiito rara na Torre.

      Não, não é.

      Quer vê que não é. Vamos lá:

      1º Resistência inata a shinsoo da Yuri:
      1.a – fortalecer o corpo(Controle de Fluxo).
      1.b – não sofrer danos onde qualquer outro sofreria(Correto).
      1.c – tanto danos por golpes diretos físicos(Não. Sangue da Família Ha).
      1.d – quanto dano por golpes a distância(Alta resistência ao shinsoo).

      OBS: No 1.d – golpes a distância(shinsoo).

      2º O que o Baam demonstrou no 2f:
      1.a – barreira de shinsoo não fez efeito algum(Densidade baixa, normal em andares mais baixos. Não é o suficiente pra fazer efeito em um Irregular. Lembra da Enguia de Aço Branco? Alta densidade. Mas nenhum Irregular teria problema com isso[Rachel?]).
      1.b – não há indício nenhum que ele tivesse alguma resistência em proteção de danos(?)
      1.c – ele se arrebentou todo ao ser derrubado pela Rachel(Normal).
      1.d – ele nunca demonstrou ter o corpo de aço (a constituição) como da Yuri ou da Androssi, pra pegar um nível mais próximo(Correto).

      Repare que a diferença entre a Yuri e o Baam, não é a resistência ao shinsoo. Então o que é? Simples, fisicamente a Yuri é muiiito mais forte que o Baam, se o mesmo não usar Controle de Fluxo(Fortalecimento Corporal), para se fortalecer, Ele(Baam) ficaria em séria desvantagem. Isso nos mostra que Irregulares não são deuses ex machinas, que mesmo eles sem shinsoo não tem nenhum poder(poderzinho shonen kkkkkk-).

      Vamos lembrar do passado. Por acaso lembra da Narumada?(Arma de Ignição). Quando o Baam foi golpeado pela Narumada, o que feriu ele não foi o shinsoo(Ignição da Arma) e sim a própria Espada(matéria).

      Aqui está: http://unionmangas.net/leitor/mangas/Tower%20of%20God%20-%20Season%201/47/03.jpg

      Por acaso, Alta resistência ao shinsoo significa que a pessoa(Irregular ou não) não(nunca) será prejudicada pelo shinsoo? NÃO!

      Se alguém do calibre da Blossom atacar(usando shinsoo), nem mesmo um Irregular sairia impune.

      Provas a mesa rs:

      SIU: Gustang usava Shinsoo para ajudar tanto no combate como na vida diária, como um “Suporte”. Blossom usava o shinsoo para atacar diretamente na batalha, uma “Atacante”. Sua forma de manipular o Shinsoo era muito violenta e imprevisível, e até os outros 10 Chefes de Família saiam do seu caminho quando ela começava a atacar.

      SIU: Vamos dar uma olhada no caso da Blossom, que foi a mais talentosa e destrutiva na história da torre. Ela uma vez provou que só por “acelerar” o shinsoo em uma área, ela poderia matar instantaneamente 99% da população viva de lá.

      OBS2: Acima, é Controle de Fluxo, que a Blossom provou que podia aniquilar quase 100% de uma população.

      Aqueles que tem o sangue de Bloodmadder, tem uma resistência ao shinsoo relativamente maior que os outros Regulares das 10 Famílias.

      SIU: A Família Hendo é famosa por ter o maior poder defensivo entre as 10 grandes famílias.

      P.S: Sinta-se livre pra questionar rs.

      • A resposta já foi enviada, Carlin, dá até “Detectado comentário repetido; parece que você já disse isso!” quando eu tento reenviar.

        Já já, ela surge por aqui. Or not. Sei lá.

        Qualquer coisa depois eu printo no txt mesmo.

        Cheirinho na nuca.

      • Tentar dividido em partes.

        [[ Parte 1 ]]

        No andar de Headon (Cap 3) ninguém comenta ou fica surpreso com alguma suposta resistência a shinsoo do Baam.

        No capítulo 25 é falado da resistência da Yuri (e do Evankhell) – relacionado as restrições geradas pela alta densidade de shinsoo (no sentido de que ela não teria tais restrições). E é ELA que supõe resistência do Baam, quando fala sobre o Kurudan ter que dar o emblema dele. (também não é falado de Urek, e olha que são membros da Wolhaiksong).

        Vocês ligaram isso ao fato do Baam não ter sido afetado pela barreira do Lero-ro (que a Yuri nem se quer ficou sabendo). Vocês fizeram essa ligação.

        Essa ligação correlacional (irregular ↔ resistência inata) não está estabelecida, e eu estou apostando que ela não existe nos mesmos moldes que da Yuri e do Evankhell. .

        Essa história de resistência inata para irregulares, se não for real, é uma baita demonstração de shounenice de vocês sim.

        • E porque ficariam surpresos? Se a Yuri é um amigo do Urek, e o Evan é um Guia de alto nível que acompanha ela(Yuri).

          SIU: Ele também é amigo de Yuri Zahard, outra Princesa, e isto é porque ela foi uma das primeiras pessoas que plantaram a Wolhaiksong. Yuri diz que ele “é o melhor para se lutar junto, mas o pior para conviver”.

          Membros da Wolhaiksong hein. Depende, temos os membros fundadores e os atuais.

          Sobre a Wolhaiksong:

          SIU: O Rumor sobre a Wolhaiksong ser uma organização anti-governamental é falso. O objetivo da Wolhaiksong é “Encontrar um jeito de sair da Torre”; não é para derrubar o governo. Mas é verdade que seus movimentos liberais frequentemente se chocam com as práticas conservativas do governo. Alguns membros atuais da Wolhaiksong pensam em si mesmos como parte de uma organização anti-governamental.

          Sobre o Mazino:

          SIU: Suas relações pessoais são muito limitadas, e isso acontece pelo seu jeito másculo.

          Charlie: Vocês ligaram isso ao fato do Baam não ter sido afetado pela barreira do Lero-ro (que a Yuri nem se quer ficou sabendo). Vocês fizeram essa ligação.

          Carlos: Eu sei que a Yuri não estáva lá.

          Charlie: Essa ligação correlacional (irregular ↔ resistência inata) não está estabelecida, e eu estou apostando que ela não existe nos mesmos moldes que da Yuri e do Evankhell.

          Carlos: Tem um segredo … sobre a Yuri, o SIU já deu várias pistas. Eu já notei faz um tempo. Inclúsive já sei o que é. Tenho uma lista sobre a Yuri.

          Charlie: Essa história de resistência inata para irregulares, se não for real, é uma baita demonstração de shounenice de vocês sim.

          Carlos: O “shonen” faz parte de ToG. Eu tenho uma lista extensa de quantas vezes o SIU já disse(aborda) isso.

          • “Porque ficariam surpresos?”

            Simples. Porque é “muiiiito raro”.

            E por que demonstraram um monte de exclamações/espantos (“ele parece normal”, “ele é fraco”, “ele fez o certo e atacou por dentro”, “ele conseguiu”? ), mas não teve nenhuma exclamação nem espanto, nem mesmo insinuação sobre isso? Nem mesmo o siu falou algo sobre?

            Simples. Porque não deve ser o caso.

            • Sim. Será? kkkkkk- joking.

              Sobre o Evan, vou te contar hein rs.

              Isso aqui: http://unionmangas.net/leitor/mangas/Tower%20of%20God%20-%20Season%202/191/02.jpg

              E isto aqui: http://unionmangas.net/leitor/mangas/Tower%20of%20God%20-%20Season%202/194/49.jpg

              (Eu não estava nenhum pouco preocupado com a Yuri).

              Ok. vamos analisar mais uma vez o caso Baam + “resistência ao shinsoo”.

              Nesta cena, temos Baam entrando no local da Enguia de Aço Branco:

              Nesta cena, temos Lero-Ro passando pela barreira de shinsoo criada por ele mesmo: http://unionmangas.net/leitor/mangas/Tower%20of%20God%20-%20Season%201/10/18.jpg

              Acho que não preciso dizer qual dos dois tem a densidade maior.

              Nesta outra cena temos os Regulares sendo empurrados pela barreira de shinsoo criada por Lero-Ro:

              Exceto um(Baam[Irregular] não foi empurrado).

              Como ele(Baam) poderia entender o que estava acontecendo. Um garoto que se quer sabia da existência da Torre Interna ou de shinsoo.

              Voltando ao assunto. Última cena pra fechar o caso rs:

              Por quê ele(Baam) não pôde ser empurrado??

              Eu tenho uma resposta simples pra isso.

              Definição de Resistência:

              Ato ou efeito de resistir.
              Força que se opõe a outra, que não cede a outra.
              Aquilo que se opõe ao deslocamento de um corpo que se move.

              Nós temos duas forças se opondo uma a outra, a resistência e a densidade da barreira. No momento em que o shinsoo da barreira entrou em contato com o corpo do Baam, a “resistência” do mesmo foi muiiito maior que a densidade da barreira. É como jogar um balde de água em uma Rocha, não importa quantas vezes você jogue água na Rocha(Baam) ela vai continuar imóvel, ou seja, ela não será empurrada/deslocada/movida.

              O termo “Resistência ao Shinsoo” é de origem Irregular. Você sabe do que eu estou falando rs.

              • O termo “Resistência ao Shinsoo” é de origem Irregular. Você sabe do que eu estou falando rs.

                Não. Não é.

                Essa tal de “resistência inata a shinsoo” tá sendo distorcida ao bel prazer pra corresponder as expectativas sobre irregulares, não é mesmo?!

                Eu aceito sua aposta lógica. Só aposto MUITAS FICHAS que não é isso. O conteúdo dessa sua aposta claramente tem pouca observância aos detalhes ou coerência lógica que tem sido construída nesse pacote fechado de recursos, então eu aviso (quem avisa amigo é) que as chances são praticamente nulas de ser algo assim. Mas whatever. O transcorrer de ToG dirá.

                Qual é a minha aposta sobre o assunto? Algo envolvendo tabula rasa, com limites de densidade. Se entre regulares podemos falar de resistência INATA (impossível de não se manifestar, atrofiar ou não se desenvolver) a shinsoo, entre os irregulares chuto algo como uma resistência CIRCUNSTANCIAL (passível de não se manifestar, se atrofiar ou não se desenvolver) a shinso. Entra na mesma lógica da tendência (pra mais ou pra menos) para irregulares (é passivel de ser construída. = tabula rasa), e não fica sem resposta para aquela pergunta que não sai da cabeça: “E a Rachel nessa sua lógica?”

                To achando que vou começar a mandar umas perguntas indiretas marotas pro SIU. Haha. Será que ele já respondeu alguma mandada em inglês?

                • SIU: Todas as linguagens técnicas, padrões e unidades relacionadas ao shinsoo que são usadas atualmente se originaram do trabalho de Gustang.

                  Estou me baseando no texto acima. Por isso que digo, que o termo “Resistência ao Shinsoo” é de origem Irregular(Gustang).

                  Obrigado. Confiado rs. O pacote não é tão fechado assim kkkkk- Principalmente quando SIU deixa certa ambiguidade(de próposito) no texto(história).

                  “Tendência de Menos” e Tendência de Mais” está relacionado a Técnica de Manipulação de Shinsoo(bang, myun e su).

                  “A Resistência ao Shinsoo é uma capacidade inata”.

                  A Rachel … só deus(SIU) sabe. Aquela sua análise pode encaixar ela.

                  Na verdade, eu encaixo a Rachel no padrão de Irregular. Os Irregulares podem compartilhar certas características, mas eles mesmos tem habilidades de destaque. O melhor exemplo é os 10(cada um se destaca em uma coisa/habilidade).

                  Manda. Quem sabe ele responde rs.

      • Enfim, Aqui resposta completa, já:

        Au Revoir, fofoletes.

        • Conclusão do Charlie: A culpa é toda do Carlos.

          Carlos: Como assim! kkkkkkkk-(brincadeiras a parte, hehehehe.)

          Chali, eu tenho dois lados rs, o shonen(garoto) e o sério(homem). Normalmente eu uso o shonen, isso é devido a maioria dos meus amigos leitores serem ávidos leitores de shonen.

          Mas é claro que eu também posso ficar sério, como eu acho que você já deve ter notado ou não rs. Mas também é claro que vou brincar(shonen), porque sou bem-humorado.

          Abraços Chali!

  12. Minha aposta atual é simples e direta:

    É preciso ser irregular pra ser assassino/Deus da FUG? Eu digo que é. Ponto.

    (Se for, vocês vão ter falado muita besteira sobre muita coisa. Se não. eu terei falado muita besteira sobre muita coisa). Natureza dos irregulares, dos Chefes das famílias, da Fug, das Ambiguidades. Haha. Tão divertido.

    • Aposta perigosa, mas eu aceito rs.

      Não é obrigatório ser um Irregular para se tornar um Assassino/Deus da FUG.

      (Tudo bem. Ok). Hehehehe. Sim. Mas independente de quem acertar, quero manter as longas conversas/debates/discussões sobre ToG kkkkkkkk-

  13. Teoria: A Torre de Deus.

    1 – História Antiga:

    A Torre de Deus é um conglomerado de edifícios abandonados e condenados que, por acaso ou por design, se aglomeraram para formar um habitat auto-suficiente. Muitos edifícios menores cercam seu nível do solo, servindo como a entrada para a Torre, enquanto o núcleo é formado por uma torre especialmente alta que se diz ter sido originalmente planejado para ser um domicílio altamente avançado, apenas para ter a construção abandonada a meio caminho . Os restos vieram a ser povoados por seres de todas as esferas da vida, incluindo um dos homens responsáveis ​​pela sua construção. A Torre logo foi subdividida em três camadas específicas: A Torre Externa, a Torre Interna, e a Área intermediária.

    2 – A Idade das Trevas:

    Antes de Zahard e as 10 famílias existirem, A Torre Interna estava em uma era de anarquia.

    SIU: A Torre Exterior é uma área vasta com muitas culturas diferentes em cada andar. Muitas delas desconhecem a existência da Torre Interior ou Zahard e formam reis para suas próprias nações.

    3 – A Era de Zahard e as 10 Grandes Famílias:

    SIU: Zahard, o Rei da Torre, é o Ranker mais famoso, não, a mais famosa e mais poderosa forma de vida na Torre. Ele é um grande rei e um verdadeiro guerreiro que antigamente entrou na Torre quando ela ainda não era civilizada e construiu seu próprio império. Todos os atuais habitantes da Torre são filhos e filhas de Zahard. Ele é como um Deus para os habitantes da Torre.

    Zahard é uma pessoa incrível que entrou e conquistou a Torre com as 10 Grandes Famílias, e foi reconhecido como o Governante dos 134 Andares pelos guardiões destes andares (Alguns destes andares foram conquistados pelas suas filhas.)

    4 – O Fim da Era de Zahard e as 10 Grandes Famílias.

    SIU: Mesmo que ele(Zahard) seja virtualmente o governante da Torre, ele está atualmente inativo; comparado a sua influência e prestigio de antes, alguns podem pensar que o 3° lugar(Sistema-Ranking) é uma vergonha. (Ele estava firmemente em primeiro antes de Enryu e Phantaminum aparecerem.)

    Apesar dele estar atualmente descansando depois de entregar os problemas públicos as suas filhas, há muitas pessoas que preveem que o dia em que Zahard ficará ativo novamente será o dia em que o limite da Torre aumentará mais um andar.

    Claro, há um número cada vez maior de pessoas que estão antecipando que o limite será estendido pelo “único filho” de Zahard que um dia nascerá.

    Atualmente os 10 Chefes das Famílias não são ativos em público.

    5 – A Era de Molic One.

    SIU: O mais velho dos 3 lordes. Se Zahard é aquele que representa os Governantes da Torre, Molic One é aquele que atualmente governa a torre.

    Dos 3 lordes, ele é o mais forte e sua influência é comparável aos dos 10 Chefes de Família.

    Seu nome, Molic One, vem da região Molic que ele viveu e significa “Lorde absoluto de Molic”. Como seu nome sugere, ele uma vez foi o Governante absoluto da região Molic, e sob um acordo com Zahard, ele se tornou um dos 3 Lordes.

    Apesar de dizerem que ele é um poderoso guerreiro que nem Zahard subestimaria, como é uma história antiga, todos os registros foram perdidos.

    Dizem que ele era habilidoso com sua alabarda gigante e poderia preencher qualquer posição, mas seria mais correto dizer que ele lutou sem se importar com elas.

    Depois de se tornar um Lorde, ele fielmente desempenhou seus deveres como um, e ao contrário dos velhos tempos, ele carrega a imagem de um Governante benigno e generoso(?).

    Durante a Conferência dos Governantes, ele ocasionalmente mostra um carisma que impressiona todos os outros Governantes.

    Considerações finais:

    Eu tentei fazer uma cronologia com as informações que o SIU disponibilizou. A História Antiga e a Idade das Trevas é apenas o que eu acho de como era antes da chegada de Zahard e os 10.

    Qualquer dúvida perguntem. Evitem ofensas desnecessárias rs.

    Chali, eu iria dar sequência com uma teoria sobre a natureza da Torre, mas eu estou com sono. Sinto. Mas vai ter que ficar pra próxima vez. Acho que quando você ler a História Antiga, você vai ter uma idéia do que se trata, pelo menos um pouco, a teoria rs.

    • 1 – Vixe. E a fauna da torre? E os oceanos nos andares? E os andares externos com tamanho de continentes?

      2 – Anarquia no sentido pejorativo de desordem/incivilizado ou de “anarquismo”/sistema político (que, lembre-se, já é civilização)? No filme avatar, aquele dos bichos azul, aquilo é anarquia pra você?

      5 – Minhas teorias são baseadas na mesma lógica do seu item 5. A resposta que dei que o Enryuu falou sobre os olhos dele sangrarem leva isso em conta. (Os eventos de ToG estarem ocorrendo na Era Molic).

      https://sleepingscan.wordpress.com/2015/01/06/dg-tower-of-god/comment-page-2/#comment-7208

      • 1 – Relaxa. Não esqueci desses detalhes não rs. Tem uma certa ambiguidade nesse texto rs, eu teria que explicar pra você entender melhor, por exemplo: a Torre de Deus, eu estou me referindo a Torre Interna/Interior.

        2 – No sentido de desordem/incivilizado. Só vi um pouco do filme, sinto rs.

        5 – (Os eventos de ToG estarem ocorrendo na Era Molic[Concordo]).

        • 1- “A Torre logo foi subdividida em três camadas específicas: A Torre Externa, a Torre Interna, e a Área intermediária.

          Mas ser subdividida não significa dizer que você estava falando da torre completa?

          Ainda estou interessado na sua explicação para oceano no 20º ou 30º alguma coisa andar.

          2 – Pode até ser. Mas nossa! Que dualista.

          Acho que é subestimar a natureza e os guardiões ou superestimar a significância “civilizatória” dentro do contexto da torre. Esse quadro, não resulta em muitos motivos para algum nativo/guardião como o Headon falar que Zahard estragou a torre.

          É o ponto que tenho menos convicção, mas Lovercraft escrevia sobre algo envolvendo natureza imensuravelmente grandiosa inclusive.

          Os Mitos são uma metáfora para a insignificância humana diante da magnitude do Universo: mais do que malevolentes, os monstros dos Mitos são, na verdade, friamente indiferentes à existência e sofrimento humanos, encarnando as verdadeiras forças da Natureza.

          fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mitos_de_Cthulhu
          extra: https://pt.wikipedia.org/wiki/H._P._Lovecraft

          Pode ser que seja mais no sentido Zeus e monte olimpo (gerar a civilização, no caso, entre os deuses) em detrimento a desordem de Cronos, na linha mais do que você disse. Mas existe a possibilidade do “forças da natureza”, que tem como pontos fortalecedores as falas de Headon e GoG sobre Zahard, e sustentaria um caráter menos dualista, mais indiferente, mais natural, da torre.

          Se o problema com o Zahard for só ter implantado um aristocracia “fraudulenta” (que prometeu e não cumpriu) concentradora de recursos, acho que a minha aposta lógica tem mais chances. Se for algo como você disse, de “Zahard trazer a luz da civilização à desordem/idade das trevas que existia”, aí acredito que Zahard terá que ter feito alguma cagada marcante pra angariar tanto ódio contra ele.

          • 1 – Eu devia ter colocado essa parte separada do resto do texto rs. A divisão específica da Torre, só veio a existir com a chegada de Zahard e os 10, assim ficou conhecido dessa forma/divisão com a implantação do Sistema-Zahard na Torre Interna. Calma rs.

            2 – Bem … apesar de cada Guardião ser responsável por seu andar, não acho que eles tenham contato diretamente com os povos/habitantes dos seus andares, tanto nos tempos atuais como nos tempos antigos. Sobre a questão “civilizatória” quero realçar que a Torre Interna era incivilizada antes da entrada de Zahard e os 10. Adoro Mitologia(meu conhecimento nessa área é vasto).

            Pois é, eu fico bastante pensativo sobre o que Zahard fez, ainda mais quando SIU diz que os motivos da FUG vai além de vingança, cobiça etc …

            Dos Guardiões, Headon é o mais importante. Tenho uma parte especial na minha teoria sobre ele.

    • “SIU: A Torre Exterior é uma área vasta com muitas culturas diferentes em cada andar. Muitas delas desconhecem a existência da Torre Interior ou Zahard e formam reis para suas próprias nações.”

      Isso é o que falo da ambiguidade intencional do uso do termo Torre. Daí que afirmo que irregulares “típicos”(como baam e rachel) podem vir de lugares como esse.

      [[ Na possibilidade gnóstica para a natureza da Torre, tudo aquilo que chamamos de mundo (que todos aqui acreditam ser fora da torre) pode ser apenas um andar da torre externa (a torre seria algo como a própria criação inteira em sí). Entrar seria apenas no sentido de torre interna, e teria o sentido clássico dos heróis gregos, de seres “reles mortais” da criação (povos que desconhecem, ou sejam, vivam a mercê, da existência da Torre Interior ou Zahard) entrando em território “gnóstico” (subir na hierarquia da criação). O próprio Zahard o tendo feito (como a era dos heróis da mitologia grega). https://pt.wikipedia.org/wiki/Eras_do_homem
      Na minha visão essa seria a explicação mais reta porque apesar de com mais termos aparentemente profundos, as motivações seriam mais simples e diretas. Seria algo mais na linha das mitologias panteônicas mesmo (exemplos: Gilgamesh e Hércules). Até mais próximo de um público mais jovem, na linha de Deuses Americanos, Percy Jackson ou o Próprio Saint Seiya.

      Não é a que mais me agrada mas inegavelmente tem elementos condizentes

      Já na possibilidade materialista seria um caso de sobrevivência, adaptação, desinformação e, nas condições vigentes, não ter pra onde correr mesmo. Estilo appleseed. Particularmente falando, me agrada mais. ]]

      • SIU: Hmm… Bem, eles não estão em mundos/universos/etc diferentes. Você verá mais no futuro ^^. É verdade que o mundo exterior, de onde o Baam veio, e a Torre são lugares diferentes.

        Minha Interpretação:

        SIU: Hmm… Bem, eles não estão em mundos/universos/etc diferentes. Você verá mais no futuro ^^. É verdade que o mundo exterior(caverna), de onde o Baam veio, e a Torre(Interna) são lugares diferentes.

        O Mundo exterior de Baam hein rs. O mundo exterior/caverna do Baam, não quer dizer que ele nasceu necessáriamente lá. A Rachel … tinha conhecimento o bastante para educar alguém.

        Correndo pela caverna:

        A porta(Portão) do Andar Inferior se abre:

        OBS: Repare que Headon está flutuando no centro da luz, ou melhor dizendo, no meio da luz que divide a porta(Portão)

        O Portão se fecha:

        OBS2: Headon é o “Guardião do Andar Inferior da Torre”.

        OBS3: Antigamente o Baam usava um trapo velho e os cabelos longos. Depois ele foi no “Salão de Beleza” e virou modelo kkkkkkkk- Roupa nova, corte de cabelo e etc …

  14. Faltou uma coisa Chali rs.

    Eu já sei que Karaka e Wangnan estão relacionados/irmãos. Mas eu ainda não aceitei que eles sejam irmãos biológicos. Acho que esse “irmãos” tem um significado diferente do que a maioria está pensando.

    Definição de Irmão:

    Irmão ou irmã (do latim germanum) aquele que é filho do mesmo pai e da mesma mãe, biológica ou adotiva. Aquele que só é filho do mesmo pai ou só filho da mesma mãe é denominado de meio-irmão. Pode-se chamar de irmão também aquele que se tem laço forte de amizade, tendo o mesmo significado de amigo. Pode ser usado também para aquele que possui a mesma crença religiosa (‘confraria’).

    Definição de Confraria:

    Confraria, irmandade ou fraternidade é um grupo de pessoas que se associa em torno de interesses ou objetivos comuns, seja o mesmo ofício, a mesma profissão, modo de vida ou religiosos ou espirituais.

    O termo origina-se da Idade Média, a referir-se a associações religiosas ou laicas, que se reuniam com a dupla finalidade – espiritual e assistencial. Hoje é comum o uso do termo confraria para associações de pessoas com interesses comuns, Confrade/confreira, correligionário/correligionária, ou simplesmente irmão/irmã são os vocábulos utilizados para se referir aos membros de confraria de qualquer religião ou política.

    Definição de política:

    O termo política é derivado do grego antigo πολιτεία (politeía), que indicava todos os procedimentos relativos à pólis, ou cidade-Estado. Por extensão, poderia significar tanto cidade-Estado quanto sociedade, comunidade, coletividade e outras definições referentes à vida urbana.

    […] o homem é naturalmente um animal político […]

    Aristóteles.

    Na conceituação erudita, política “consiste nos meios adequados à obtenção de qualquer vantagem”, segundo Hobbes ou “o conjunto dos meios que permitem alcançar os efeitos desejados”, para Russel ou “a arte de conquistar, manter e exercer o poder, o governo”, que é a noção dada por Nicolau Maquiavel, em O Príncipe;

    OBS:

    Karaka e Wangnan podem compartilhar sangue, mas de uma maneira diferente … do que a maioria pensa.

    Lembrando, isso é apenas uma suposição.

    Eu posso estar errado rs.

  15. Yrs disse:

    Que bom manin kk-
    Também odeio ficar parado, férias as vezes são torturantes pra mim (mesmo eu as vezes sendo preguiçoso).
    Que você tenha um ótimo ano ! ^^

  16. Yrs disse:

    Poha, os comentário não estão indo no lugar certo kkk-
    Tenho que prestar atenção antes de dar enter xD.

  17. PhonsekalLevi disse:

    O Shumy e o CatlLover são coreia?

  18. Acho que a razão de zahard não ter filhos diretos é simples: o cara é homossexual.

    • dhmagalhaes1@hotmail.com disse:

      kkkkkkkk ou pode que ele é eunuco

      • Também! Mas já pensou que passamos tempo quebrando a cabeça tentando descobrir a razão de Zahard não ter filhos diretos, e a razão for algo simples assim…
        Lembrando: a premissa da torre é que você possa realizar seu maior desejo ao subi-la até o fim, porém não vimos nenhum personagem que foi até o fim dizendo que realizou o que desejava. Talvez as palavras do Evan sejam verdadeiras: de que a Torre muda as pessoas a ponto de elas esquecerem até o porque entraram nela, como aconteceu com ele.

  19. Enryuu, quando se pesquisa algo aqui no blog parou de se ter resultados da season 1 (notas e cap, por exemplo). Só avisando.

  20. Sabemos que rachel e Baam são irregulares. Porém, confesso que algo não me é claro: se rachel abriu a porta da torre por conta própria ou se Baam a abriu para ela. Aparentemente ela entrou primeiro que Baam ou foi com quem Headon falou primeiro. Então pergunto, rachel abriu a porta por conta própria ou não?

  21. Paira um silêncio na Sleeping Scanlator, um misto de ansiedade com expectativa…

  22. PhonsekalLevi disse:

    Dúvida: o Akryung é um irregular?

  23. Jason disse:

    Mas faz sentido. Enryu é um Spear Bearer, Akryun tbm. Ambos são vermelhos. Tudo faz sentido.

  24. José Filipe disse:

    No TUS existe menção a espécies extraterrestres(como alguma que esteja presente em ToG)?

  25. Diego Hernique Magalhaes disse:

    Desculpa incomodar enryuu o capitulo vai lançar hoje?

  26. Iuri Machado disse:

    Enryuu blza man? sou fã do trabalho que faz aqui! Vejo que recentemente tem encontrado muitas dificuldades pra continuar lançados os capítulos, já pensou conseguir parceria com alguma outra scan pra conseguir lançar os capítulos sem que te atrapalhe tanto? Abç

    • Enryuu disse:

      Fala, Iuri.

      Já pensei, mas pela minha experiência anterior com a Kyodai, prefiro ficar sozinho mesmo. Quando se tem uma parceria, cada equipe faz uma parte, e se eles terminam a parte deles, eu sou obrigado a fazer a minha, entende? Eu não gosto desta sensação, é meio sufocante para um hobby. Se for assim, prefiro parar.

      E eu também sou extremamente ridículo com o controle de qualidade, então tudo vira uma merda quando se trata de eu e novos membros trabalhando em ToG.

      • Carlos Henrique da Silva Barros disse:

        Não para, não para; não para, não para🎶
        Para, não para, não para; não pa-não🎵 para, não para🎶
        Para, não para, não para; não pa-não🎵 para, não para🎵🎶

  27. José Filipe disse:

    Alguém aqui teve acesso ao jogo de ToG?

  28. VivaPalhaço disse:

    Ouvi falar uma princesa Heice Zahard que desistiu Série de 13 mês e também Há um boato que ela participou na batalha contra Eurasia Enne Zahard.
    Acho que ela sabe demais sobre Série de 13 Mês e também arlen grace por qual motivo ela desistiu Série de 13 Mês e escondeu?

Responder

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s